Em Sertãozinho, um velho engenho se tornará museu domingo, ago 25 2013 

Enviado pelo amigo Joaquim Emidio:

Em Sertãozinho, um velho engenho se tornará museu

Usina fundada no começo do século 20, que conserva maquinário e galpões da época, passa por recuperação no interior do Estado

25 de agosto de 2013 | 2h 05

EDISON VEIGA , ENVIADO ESPECIAL , SERTÃOZINHO (SP) – O Estado de S.Paulo

Seja no prédio principal, seja em qualquer um dos sete pequenos galpões que o orbitam, entrar nas ruínas do Engenho Central de Sertãozinho é um privilégio de aguçar os olhos daqueles que gostam de História. Parece uma viagem no tempo, entre centrífugas escocesas do século 19 – importadas pela família de Santos Dumont -, telhas inglesas, velhas fornalhas, balanças, tonéis e um obsoleto maquinário que movimentou a indústria da cana de 1903 a 1974, período em que a usina funcionou.

Veja também:
linkProjeto de zeladoria pode se espalhar por outras cidades
linkGaleria de fotos

Tiago Queiroz/AE

Antigos galpões da usina, que produzia açúcar desde o início do século 20, foram preservados

Esse eldorado histórico-industrial paulista fica no coração da Fazenda Vassoural, entre Sertãozinho e Pontal, perto de Ribeirão Preto. Foi criado pelo coronel Francisco Schmidt, que nos primeiros anos do século 20 chegou a acumular um patrimônio de 62 fazendas. O Engenho Central era o motor de seus negócios: dali saíam as sacas de açúcar cristal – e os litros de cachaça. Diariamente, uma maria-fumaça adentrava a usina e de lá saía carregada – o ramal da Estrada de Ferro Mogiana foi puxado até a fazenda por força do próprio coronel.

Nos anos 1960, as terras foram compradas dos Schmidt pela família Biagi. Desde que a usina parou de funcionar, há quase 40 anos, os novos proprietários acalentavam o sonho de transformar tudo em museu. Por isso, o velho maquinário não foi vendido como sucata, a exemplo de tantas indústrias centenárias, e os velhos galpões não foram demolidos.

Nos últimos anos, o museu começou a sair do papel. Primeiro, com a criação de uma fundação – o Instituto Cultural Engenho Central. A instituição deve custar R$ 15 milhões. Pela Lei Rouanet, a fundação foi autorizada a captar R$ 10,5 milhões. Até agora, conseguiram R$ 3 milhões – o que seria suficiente para a primeira fase.

Representantes da fundação esperam que, a partir de dezembro, o espaço já tenha se convertido em um memorial – com possibilidade de visitas monitoradas de escolas e também de outros pequenos grupos. O Museu Nacional do Açúcar e do Álcool será a fase seguinte, a conclusão do projeto ainda não tem um prazo definido.

O trabalho já começou. Há dois meses, o instituto contratou os serviços do Estúdio Sarasá, de São Paulo, para implementar um projeto de zeladoria de patrimônio no local (leia mais abaixo). Foram selecionados 14 jovens da região, todos com ensino médio, e eles ganham cerca de R$ 900 por mês para aprender a lidar com um prédio histórico.

Os jovens chegam diariamente à fazenda em uma van contratada pelo projeto. Ali, eles têm aulas teóricas e práticas. Nas práticas, colocam a mão na massa e ajudam a recuperar o velho Engenho Central e os galpões anexos.

Aos poucos, a sujeira e o pó vão saindo e a história, brotando. “Em breve, deixaremos este local em condições de visitação”, explica o arquiteto Fabio Di Mauro, um dos orientadores dos aprendizes. “Algumas patologias do prédio vão ser estabilizadas, outras serão corrigidas. É preciso analisar caso a caso.” Enquanto isso, a historiadora Mirza Pellicciotta se detém na tarefa de compreender cada uma das peças antigas – ela está inventariando os milhares de itens encontrados dentro dos imóveis. “Os equipamentos serão protegidos para não deteriorar”, adianta.

Jovens. Ao mesmo tempo em que nasce um museu, 14 jovens descobrem uma vocação. “Eu estou achando muito legal trabalhar com isso, e agora quero me tornar engenheiro civil”, afirma Marlon Gomes da Silva, de 18 anos. O rapaz cursa o 3.º ano do ensino médio e, antes de ser contratado para estudar e trabalhar na zeladoria do Engenho Central, era office-boy em Sertãozinho.

“Quando entrei para o projeto, nem sabia o que estava fazendo aqui, o que iria encontrar”, admite Marcela Giovana Ferreira da Silva, de 19 anos, que antes era cabeleireira na cidade de Pontal. “Estou gostando tanto que, no futuro, quero me tornar arquiteta.”

BLOG DE ELIANA BELO SILVA SOBRE A FAZENDA PARAIZO – ITU – JOAQUIM EMIDIO NOGUEIRA BICUDO quarta-feira, ago 21 2013 

Prezados amigos,

Abaixo, o BLOG de  Eliana Belo Silva, onde ela conta a história da Fazenda Paraizo em  Itu que está em família há mais de 100 anos e que hoje pertence a mim. Pretendo fazer dela um centro turístico, com restaurante, salão de eventos e uma escola de artesões para crianças carentes da região. Para isto estou em busca de  empresa que queira restaurar a antiga casa sede, utilizando o próprio nome, em troca da restauração e criação de um projeto social.

Blog da Eliana Belo Silva :

http://historiadeindaiatuba.blogspot.com.br/2013/08/fazenda-paraizo-itu.html

Atenciosamente,

Joaquim Emidio

21/08/2013 11:36:09

Ajude a fazer a próxima revista Sorria! Edição 34 – outubro/novembro 2013 segunda-feira, ago 12 2013 

Olá,

Estamos preparando a seção Aconteceu Comigo da próxima edição da revista Sorria (www.revistasorria.com.br) e mais uma vez pedimos a sua ajuda!

O tema da vez é: por que você ama o que faz?

Estamos procurando relatos de pessoas que amem o seu trabalho, sejam quais forem. Afinal, às vezes, não é ter o trabalho dos sonhos que torna especial o que fazemos. Podem ser depoimentos como:

– Trabalho com a diagramação de livros didáticos. É um trabalho difícil, que exige dias e dias em frente ao computador. Mas faço bem feito porque sei que minha atividade contribui para a educação de centenas de crianças.

– Gosto muito de conversar com as pessoas e tornei-me recepcionista em um escritório. Sinto-me realizada ao perceber que minha atitude pode tornar melhor o dia de alguém.

– Trabalho em banco e mexo com impostos e tarifas. Minha atividade exige muito cuidado e atenção, pois qualquer erro pode levar alguém a perder muito dinheiro. Saber que ajudo desconhecidos a organizar sua vida financeira me faz muito bem.

– Todos os dias saio de casa às 5h e vou para o prédio onde trabalho. Faço os serviços de jardinagem e fico orgulhoso quando alguém elogia meu trabalho. Gosto de tornar a vida das pessoas mais bonita.

– Sou fotógrafo, especializado em casamentos. É muito recompensador quando, em meio a tantas festas, consigo captar em imagens o amor entre duas pessoas. É o que dá sentido ao meu trabalho.

– Faço as refeições que as crianças comem nos intervalos da escola. E vê-las nutridas e felizes com a comida que preparo também me faz muito feliz.

Sou engenheiro e trabalho fazendo projetos em uma construtora. É recompensador enxergar um pouquinho do que faço nos lugares onde pessoas vão morar ou trabalhar. Sei que estou contribuindo para que tenham uma rotina segura e sólida.

Você tem uma história assim? Conte para a gente!

Não se esqueça de informar, por favor:

Nome:

Idade:

Cidade/Estado:

Telefone (não vamos divulgar essa informação, é apenas para poder entrar em contato se ficarmos com alguma dúvida):

Nem todos os depoimentos poderão ser publicados na revista. Faremos uma seleção entre os relatos recebidos.

Para saber mais sobre a Sorria, acesse nosso site: www.revistasorria.com.br

Também estamos no Facebook: www.facebook.com/revistasorria

Muito obrigado!

Equipe Sorria

(11) 3024 2444

Sorria Nº 33. A força do bom humor | Revista Sorria – à venda na Droga Raia segunda-feira, ago 12 2013 

Sorria Nº 33. A força do bom humor | Revista Sorria.

TSE anula convênio com Serasa – Brasil – MSN Estadão sábado, ago 10 2013 

TSE anula convênio com Serasa – Brasil – MSN Estadão.

Presidente do TSE quer suspensão de repasse de dados de eleitores à Serasa – Política – MSN Estadão quinta-feira, ago 8 2013 

Aleluia!

Tomara que não fique só no querer.

Presidente do TSE quer suspensão de repasse de dados de eleitores à Serasa – Política – MSN Estadão.

NOVO RESTAURANTE EM ITU= ESPAÇO SANTA RITA – também local de eventos = para 28/09/2013 quinta-feira, ago 8 2013 

Inauguração: 28 de setembro de 2013, sábado, a partir de 12h.

Vejam o anúncio enviado por Joaquim Emídio:

Inauguração 28/09/2013

Inauguração 28/09/2013

Prezados amigos,

Em breve, final do mês de setembro de 2.013, será inaugurado mais um ponto de atração turística de Itu.

É o Espaço Santa Rita, Restaurante que estará aberto de sexta-feira a domingo para almoço e que está  localizado na Fazenda Paraizo, na Av. Dr. Ermelindo Maffei, km. 102 ( antiga Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto) ao lado do Campos de Santo Antonio,  com uma vista deslumbrante para o rio Tietê e às margens da Rodovia, sem, no entanto, dar acesso a mesma.

Aguardem novas notícias a respeito.

Atenciosamente,

Joaquim Emidio

07/08/2013 16:29:39

Observação: A faixa, numa das fotos, indica que, pelo telefone (11) 9 74 37 51 19 (Getúlio) já estão sendo agendadas datas para festas de confraternização.

Curral - Espaço Santa Rita - Getúlio _JEmidio enviou

Curral da Fazenda Paraizo_acesso_JEmidio enviou

Curral Fabiana_JEmidio enviou

Abram o anexo (Power Point), abaixo, para conhecer o projeto do local.

ESPAÇO SANTA RITA – APRESENTAÇÃO – recebido 07maio2013 de JEmidio

SPPREV – São Paulo Previdência – Recenseamento de pensionistas e inativos domingo, ago 4 2013 

Recenseamento

Em atendimento à Lei Federal nº 10.887/2004, os beneficiários da São Paulo Previdência estão sendo convocados, desde janeiro de 2012, para participar do projeto de monitoramento continuado e recenseamento.

O procedimento é agendado mediante contato telefônico feito por profissionais do Instituto de Organização Racional do Trabalho (IDORT), empresa contratada pela SPPREV para a execução desse projeto. Dessa forma, os pensionistas e inativos não precisam entrar em contato para fazer o agendamento, devendo apenas aguardar o recebimento da ligação.

Nesta primeira fase, o procedimento está sendo agendado com os participantes residentes no Estado de São Paulo. Em momento oportuno, os beneficiários que residem fora do Estado serão contatados e receberão as devidas instruções sobre a sua atualização cadastral.

Para a realização do recenseamento, o IDORT conta com 18 postos fixos localizados no Estado de São Paulo. Conheça o endereço das unidades fixas do IDORT. Já com o objetivo de atender às regiões distantes desses endereços, estão sendo providenciados postos itinerantes. A estrutura móvel dessas unidades permitirá que transitem por diversos municípios, realizando a atualização cadastral dos beneficiários que ali residem e evitando que os aposentados e os pensionistas tenham de realizar deslocamentos superiores a 20 quilômetros.

De acordo com a Portaria SPPREV nº 300, de 27-12-2012, os beneficiários (com exceção dos pensionistas universitários) que efetuarem o recenseamento no ano de 2013, até o mês de seu aniversário, ficarão dispensados da realização do recadastramento neste ano. Caso o inativo ou pensionista não seja convocado a proceder o recenseamento até o mês de seu aniversário, deverá realizar o recadastramento normalmente, em agência do Banco do Brasil ou unidade da São Paulo Previdência.

Ainda de acordo com a referida legislação, caso os inativos e pensionistas civis e militares sejam convocados para efetuar o recenseamento e se recusem a procedê-lo, poderão ter seus benefícios suspensos.

Mais informações sobre o recenseamento:

Para obter mais informações a respeito do projeto de monitoramento continuado e recenseamento, os beneficiários podem entrar em contato com o call center do IDORT: 0800 888 2425.

viaSPPREV – São Paulo Previdência.

“Parece o Rio de Janeiro!” brinca papa ao ver muitos jovens durante o Ângelus – Notícias – Internacional domingo, ago 4 2013 

“Parece o Rio de Janeiro!” brinca papa ao ver muitos jovens durante o Ângelus – Notícias – Internacional.