Tibete – Wikipédia, a enciclopédia livre

Destaco do verbete da Wikipédia o seguinte:

“Diversos rios têm suas nascentes no Planalto Tibetano, principalmente na atual província de Qinghai, incluindo:

Esse destaque se deve ao comentário que acompanhou a mensagem de Maria Adelaide, anexo em extensão “pps”, sobre a linha férrea Pequim – Lhasa, ou seja,

“É no Tibete que nascem os três principais rios da China e esse é o principal motivo pelo qual a região é estratégica para o país”.

Quem acompanha as notícias geo-políticas tem uma ideia das dificuldades do Tibet.

Graças ao destaque do verbete Tibet, da Wikipédia, e ao conteúdo que acompanhou a mensagem eletrônica de Maria Adelaide, é possível entender melhor a razão de o Tibet ser tão disputado.

Mais um aprendizado de minha parte.

Destaco este trecho do verbete Lassa [Lhasa], da Wikipédia:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lhasa

“A nova Ferrovia Qinghai-Tibete, liga Lhasa à capital da província chinesa de Qinghai, Xining, em um percurso de cerca de 2000 quilômetros. Ela é a mais alta estrutura ferroviária do mundo e se conecta a outras ferrovias, permitindo que se vá de Lhasa a Pequim de trem.

Cinco trens chegam e partem diariamente da estação de trens de Lhasa. O trem numerado T27 leva 47 horas e 28 minutos da Estação Beijing West até Lhasa, chegando na cidade as 20:58 todos os dias. A passagem custa 389 yuans por um assento rígido, 813 yuans por um assento para dormir rígido ou 1262 yuans por um assento para dormir flexível. O trem T28 de Lhasa para Beiging West parte ás 08:00 e chega em Pequim ás 08:00 do terceiro dia, levando 48 horas. Também existem trens de Chengdu, Chongqing, Lanzhou, Xining, Guangzhou e Shangai para a cidade.

Inicialmente a grande variação de altitude nessas rotas causou problemas, pois os passageiros sofriam com tonturas e enjoos. Para resolver o problema, oxigênio é bombeado no sistema de ventilação dos trens e máscaras de oxigênio pessoais estão disponíveis”.

 [videolog 314417]

Na China, trem faz viagem inédita. Entre Pequim e Lhasa, no Tibete.Parte 01

por heliocjr – Publicado dia 24 de março de 2008 às 06:38

Domingo, 23/03/2008.Sônia Bridi embarcou no trem que fez a primeira viagem entre Pequim e Lhasa, no Tibete. Os vagões são divididos em categorias, desde a primeira classe até os assentos mais baratos.Conheça um pouco do Trem e do Tibete.- Parte 01

Agora, o anexo, de 16/02/2011, com legendas em inglês, recém enviado por Maria Adelaide.

Compreensivelmente ufanista, é de se admirar todo o cuidado na construção da linha férrea (preservação do ecossistema, respeito ao ecossistema delicado, composto de montanhas, geleiras), no atendimento aos passageiros, na ênfase ao progresso que trouxe à região do Tibet.

Qinghai-Tibet_Railway(LAI)

Ufa! Em 07-04-2014, não consegui com que o anexo abrisse. “Coisas da Web”.

Hoje, dia 08-04-2014, recomendo assistir, no YouTube, por meio do “link” abaixo, um documentário feito às escondidas antes da inauguração da Ferrovia Pequim – Lhasa:

http://youtu.be/rWTFzcuu8cI

Enviado em 05/12/2006

Documentário que mostra o cotidiano da capital, Lhassa e de lugares remotos do Tibet no último mês antes da inauguração da linha de trem que ligou a região remota e isolada ao mundo moderno que modificará radicalmente a região. O documentário mostra ainda a colônia tibetana em países vizinhos e sua maior liberdade de culto religioso e à figura do Dalai Lama.

Licença padrão do YouTube

 

Buscar, no YouTube, documentário sobre a construção da ferrovia Pequim – Lhasa, Construção Ferrovia Tibet – Missão Impossível, dividido em várias partes.

É muito importante que tenhamos acesso às informações de um lado e de outro…