A CASA DE RUBEM ALVES – A data para novo PANELAÇO está chegando: 7 de Setembro segunda-feira, ago 29 2011 

Imperdível “O panelaço” em

:: A CASA DE RUBEM ALVES ::

Criado em 25/07/2005, o anexo foi baixado de “A Casa de Rubem Alves”

está na hora_rubemalves_com

Anúncios

Wikilivros:Biblioteca/Ordem alfabética – Wikilivros sábado, ago 27 2011 

Wikilivros (do inglês Wikibooks) é um projeto da Wikimedia Foundation dedicado ao desenvolvimento colaborativo (wiki) de livros, apostilas, manuais e outros textos didáticos de conteúdo livre (saiba mais). Todos os interessados podem ler ou melhorar um dos 6 523 módulos presentes em nossos 478 wikilivros, ou produzir novos materiais”.

Wikilivros:Biblioteca/Ordem alfabética – Wikilivros

Livro de receitas – Wikilivros sábado, ago 27 2011 

 

Já procurou receitas, na Web, e se perdeu no meio das propagandas?

Experimente, então, esta sugestão.

Livro de receitas – Wikilivros

O futuro da humanidade: os tri-hiper, de Augusto Cury – Editora Sextante quinta-feira, ago 25 2011 

Em dezembro de 2008, ganhei, de minha cunhada Roseli, o livro de Augusto Cury do título desta postagem.

Em março de 2009, formatei, em Microsoft Power Point, baseada na leitura desse livro, um anexo  cuja abordagem é a síndrome dos tri-hiper.

O anexo é ilustrado pela pintura “A Balsa da Medusa”, que se baseia, também, numa inserção, neste espaço, da leitura da pintura de Thèodore Géricault.

A partir do título do livro e do nome do autor, é possível encontrar, na Web, desde resenhas, resumo do livro, slides com o livro em “pdf” e até como e-book para deficientes visuais. Enfim, pode-se ler sobre o livro, comprar o livro, ler o livro por meio de “download”…

O anexo, portanto, é uma exposição, com cópias de trechos do livro, do meu entendimento da síndrome dos tri-hiper.

Esse é o motivo de eu ter escolhido, dentre as categorias, a denominada “Opinião pessoal e intransferível”, porque é uma interpretação da síndrome exposta, no livro, na minha perspectiva, ou seja, a de leitora.

Os tri-hiper_ilustração A balsa da Medusa_Maria Lúcia Bernardini 

Sinto Vergonha De Mim, Cleide Canton, que identifica a última estrofe como de Ruy Barbosa terça-feira, ago 23 2011 

 


Cleide Canton

Sinto vergonha de mim
por ter sido educador de parte desse povo,
por ter batalhado sempre pela justiça,
por compactuar com a honestidade,
por primar pela verdade
e por ver este povo já chamado varonil
enveredar pelo caminho da desonra.
Sinto vergonha de mim
por ter feito parte de uma era
que lutou pela democracia,
pela liberdade de ser
e ter que entregar aos meus filhos,
simples e abominavelmente,
a derrota das virtudes pelos vícios,
a ausência da sensatez
no julgamento da verdade,
a negligência com a família,
célula-mater da sociedade,
a demasiada preocupação
com o “eu” feliz a qualquer custo,
buscando a tal “felicidade”
em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.
Tenho vergonha de mim
pela passividade em ouvir,
sem despejar meu verbo,
a tantas desculpas ditadas
pelo orgulho e vaidade,
a tanta falta de humildade
para reconhecer um erro cometido,
a tantos “floreios” para justificar
atos criminosos,
a tanta relutância
em esquecer a antiga posição
de sempre “contestar”,
voltar atrás
e mudar o futuro.
Tenho vergonha de mim
pois faço parte de um povo que não reconheço,
enveredando por caminhos
que não quero percorrer…
Tenho vergonha da minha impotência,
da minha falta de garra,
das minhas desilusões
e do meu cansaço.

Não tenho para onde ir
pois amo este meu chão,
vibro ao ouvir meu Hino
e jamais usei a minha Bandeira
para enxugar o meu suor
ou enrolar meu corpo
na pecaminosa manifestação de nacionalidade.
Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti,
povo brasileiro!
“De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem- se os poderes
nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
A rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto”

Ruy Barbosa

Fonte: http://www.culturabrasil.org

Sinto Vergonha De Mim, Cleide Canton Sinto Vergonha De Mim

Aracy de Carvalho Guimarães Rosa, na Wikipédia, e livro biográfico lançado segunda-feira, ago 22 2011 

Aracy de Carvalho Guimarães Rosa – Wikipédia, a enciclopédia livre

Na revista Veja, páginas 138 e 139, 24/08/2011, edição 2231, ano 44, n.º 34, Livros, de Luís Guilherme Barrucho,

recomenda:

Justa – Aracy de Carvalho e o Resgate de Judeus: Trocando a Alemanha Nazista pelo Brasil

Autoria: Mônica Raisa Schpun, Civilização Brasileira, 518 páginas.

Rolando Boldrin Indignado – YouTube – Sinto vergonha de mim, de Cleide Canton e uma estrofe de Ruy Barbosa segunda-feira, ago 22 2011 

Ruy Barbosa, na Wikipédia, e A Lei de Caim, em Antologia do Pensamento Mundial sexta-feira, ago 19 2011 

Ruy Barbosa Academia Brasileira de Letras

Ruy Barbosa, o Águia de Haia, c. 1923

Nome completo
Ruy Barbosa de Oliveira

Nascimento
5 de novembro de 1849
Salvador,

Morte
1º de março de 1923 (73 anos)
Petrópolis

Nacionalidade
Brasileiro

Ocupação
Jurista, político, diplomata, escritor, filólogo, tradutor e orador

Ruy Barbosa – Wikipédia, a enciclopédia livre

A lei de Caim

Rui [Ruy] Barbosa

(1849 – 1923)

Fonte: Antologia do Pensamento Mundial – Volume V – Livraria e Editora Logos Ltda. São Paulo – SP; 10ª edição, junho de 1963.

A lei de Caim é a lei do fratricídio. A lei do fratricídio é a lei da guerra. A lei da guerra é a lei da força. A lei da força é a lei da insídia, a lei do assalto, e a lei da pilhagem, a lei da bestialidade. Lei que nega a noção de todas as leis, lei da inconsciência, que autoriza a perfídia, agaloa a insolência, eterniza o ódio, premia a barbárie, assenta o direito, a sociedade, o Estado no princípio da opressão, na onipotência do mal. Lei de anarquia que se opõe à essência de toda legalidade, substituindo a regra pelo arbítrio[1], a ordem pela violência, a autoridade pela tirania, o título jurídico pela extorsão armada. Lei animal, que se insurge contra a existência de toda a humanidade, ensinando o homicídio, propagando a crueza, destruindo lares, bombardeando templos, envolvendo, na chacina universal, velhos, mulheres e crianças. Lei da torpeza, que proscreve o coração, a moral e a honra, misturando a morte com o estupro, a viuvez com a prostituição, a ignomínia com a orfandade. Lei de mentira, na falsa história que escreve, nos falsos pretextos que invoca, na falsa ciência que explora, na falsa dignidade que ostenta, na falsa bravura que assoalha, nas falsas liberdades que reivindica, fuzilando enfermeiras, atacando hospitais, metralhando povoações desarmadas, incendiando aldeias, bombardeando cidades abertas, minando as estradas navais do comércio, submergindo navios mercantes, canhoneando tripulações e passageiros refugiados nas lanchas de salvamento, abandonando as vítimas da covardia das suas proezas marítimas aos mares revoltos, e aos frios dos invernos boreais. Lei do sofisma, lei da inveja, lei da carnificina, lei do instinto sanguinário, lei do homem brutificado, lei de Caim.

clip_image002

À medida que digitava o texto para postagem, fiquei cada vez mais surpresa com a visualização dos males provocados pela Lei de Caim, porque, contemporaneamente, Ruy Barbosa descreve, entre outras imagens, a 2.ª Guerra Mundial, os refugiados de países em guerra ou sob opressão ditatorial, mas não consegui contextualizar Lei de Caim, portanto, pode ser que Ruy Barbosa tenha acompanhado as tragédias da 1.ª Guerra Mundial.

clip_image002[1]


[1] No texto original, aparece “arbítro” [acento tônico na sílaba “bi”]. Tomei a liberdade de substituir por “arbítrio”, em função do contexto [grafia de 1963; possível erro de impressão] e da pesquisa feita: arbítrio Datação sXIV cf. IVPM Acepções substantivo masculino 1 decisão dependente apenas da vontade; alvedrio Ex.: impôs à moça o a. de pai.

Fonte: http://houaiss.uol.com.br/busca.jhtm?verbete=arb%EDtrio&stype=k

Rui Barbosa, Obras De Rui Barbosa, Correspondência Rui Barbosa sexta-feira, ago 19 2011 

 

 

Rui Barbosa, Obras De Rui Barbosa, Correspondência Rui Barbosa

Repito o endereço:

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/capas/obras-literarias/rui-barbosa.php

VOYAGE VOYAGE – Desireless sexta-feira, ago 19 2011 

 Esta inserção se deve à programação de minha favorita – Antena 1 – que a tocou há alguns minutos.

Que ninguém confunda minhas inserções em francês com conhecimento (meu francês “dá para o gasto”: aulas nas duas primeiras séries do antigo ginasial; atenções a traduções “tempos de Hélio Ribeiro”, apresentador de rádio que traduzia as músicas estrangeiras), mas, principalmente, ao fato de o português e o francês terem origens comuns, ajuda a entender o que é importante em textos escritos. Para canções, preciso de ajuda de tradução.

Há muitos anos, enquanto assistia a um documentário sobre a região do Araguia, fiquei surpresa com um dos ribeirinhos, que, de violão, cantava o que entendia do refrão dessa canção: “guiá, guiá” e assim seguia. Não fiz piada dele, contava o fato aos alunos (eu mesma já cometi cada gafe e com letra de música em português, por que fazer piada disso?), para exemplificar como as pessoas, espontaneamente, podem reproduzir o que ouvem, de acordo com o que conhecem, no caso do ribeirinho, “Araguia”. Como quando minha sobrinha, que confundiu “musa inspiradora” com “mula respiradora” e me ofereceu o mote para inserir, neste espaço, como as pessoas nos usam como “mulas respiradoras”, quando são as mais espertas da sala.

Quando as mais espertas da sala morrerem, irão de corpo e alma para o inferno.

A letra da canção menciona “Amazone”. É uma viagem pelo mundo.

http://youtu.be/l8PlizxffCk

Outra opção (com letra e tradução):

http://letras.terra.com.br/desireless/#mais-acessadas/10518

 

Chapelle de la Maison Mère-Mallet, Quebec – Panoramic view – Panorâmica 360º quinta-feira, ago 18 2011 

A visita virtual à Capela da Maison Mère-Mallet é encontrada em muitos, mas muitos mesmo, endereços de blogs e de agências de turismo. Estava há tanto tempo em “Favoritos”, que não me lembro mais se o endereço foi enviado por “Melinha” ou por Maria Adelaide.

Antes, um “apanhado” sobre a Chapelle de la Maison Mère- Mallet:

Quebec ou Quebeque (em francês: Québec) é uma das dez províncias do Canadá. É a maior província do país, e a segunda mais habitada do Canadá. Cerca de 24% da população do Canadá vive nesta província. A maior cidade do Quebec é Montreal, que é também a segunda maior do país. Sua capital é a Cidade de Quebec. Com a sua língua, sua cultura e suas instituições, que representa uma nação dentro do Canadá.

Leia mais [e faça outras visitas virtuais além da indicada nesta postagem]: http://seboeacervo.blogspot.com/2010/09/igrejas-espetaculares-em-quebec-360.html#ixzz1VRCpAj36

[O endereço cita, como fonte sobre Quebec, a Wikipédia]

Mais informações sobre a Chapelle de la Maison Mére-Mallet, Quebec, Canadá:

Fonte: http://www.voilaquebec.com/attraits/patrimoine-et-culture/edifices-et-sites-religieux/edifices-et-sites-religieux/publication/749/257/1/index.html

“Maison Mère-Mallet

En 1850, lorsque la communauté des Sœurs de la Charité de Québec réclama le talent de Charles Baillairgé pour effectuer le plan d’ensemble d’une chapelle, elle hérita d’un plan audacieux de style néogothique comportant plusieurs innovations architecturales. Bien que trois incendies l’aient ravagée, chaque reconstruction respecta les plans de l’architecte Baillairgé, ce qui lui redonna son aspect initial à chaque fois. La chapelle actuelle, qui date de 1915, fut elle aussi restaurée selon les devis originaux de Baillairgé. Elle atteint une hauteur de 67 pieds et témoigne d’une architecture très audacieuse. Le décor intérieur s’inspire du décor de 1869″.

 

Agora, sim, se não perdeu a paciência, a visita panorâmica (360º) à referida Capela:

Chapelle de la Maison Mère-Mallet, Québec – Panoramic view – Vista panorámica de 360 grados – photojpl.com

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (restaurado) – por Salete Russi Maia – anexo em “pps” quinta-feira, ago 18 2011 

Conteúdo e formatação deslumbrantes.

Recebi da prima Melinha.

Theatro Municipal do Rio de Janeiro_Melinha enviou 

A origem da cachaça – Brasil Escola e um anexo com créditos terça-feira, ago 16 2011 

Já havia recebido essa curiosidade do amigo José Emídio.

Vale a pena ler sobre isso.

A origem da cachaça – Brasil Escola.

Anexo em extensão “pps”: muito bem formatado, conteúdo interessantíssimo.

A origem da cachaça_com créditos

Tibete / Lhasa – Wikipédia, a enciclopédia livre e viagem Pequim – Lhasa ou Lassa segunda-feira, ago 15 2011 

Tibete – Wikipédia, a enciclopédia livre

Destaco do verbete da Wikipédia o seguinte:

“Diversos rios têm suas nascentes no Planalto Tibetano, principalmente na atual província de Qinghai, incluindo:

Esse destaque se deve ao comentário que acompanhou a mensagem de Maria Adelaide, anexo em extensão “pps”, sobre a linha férrea Pequim – Lhasa, ou seja,

“É no Tibete que nascem os três principais rios da China e esse é o principal motivo pelo qual a região é estratégica para o país”.

Quem acompanha as notícias geo-políticas tem uma ideia das dificuldades do Tibet.

Graças ao destaque do verbete Tibet, da Wikipédia, e ao conteúdo que acompanhou a mensagem eletrônica de Maria Adelaide, é possível entender melhor a razão de o Tibet ser tão disputado.

Mais um aprendizado de minha parte.

Destaco este trecho do verbete Lassa [Lhasa], da Wikipédia:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lhasa

“A nova Ferrovia Qinghai-Tibete, liga Lhasa à capital da província chinesa de Qinghai, Xining, em um percurso de cerca de 2000 quilômetros. Ela é a mais alta estrutura ferroviária do mundo e se conecta a outras ferrovias, permitindo que se vá de Lhasa a Pequim de trem.

Cinco trens chegam e partem diariamente da estação de trens de Lhasa. O trem numerado T27 leva 47 horas e 28 minutos da Estação Beijing West até Lhasa, chegando na cidade as 20:58 todos os dias. A passagem custa 389 yuans por um assento rígido, 813 yuans por um assento para dormir rígido ou 1262 yuans por um assento para dormir flexível. O trem T28 de Lhasa para Beiging West parte ás 08:00 e chega em Pequim ás 08:00 do terceiro dia, levando 48 horas. Também existem trens de Chengdu, Chongqing, Lanzhou, Xining, Guangzhou e Shangai para a cidade.

Inicialmente a grande variação de altitude nessas rotas causou problemas, pois os passageiros sofriam com tonturas e enjoos. Para resolver o problema, oxigênio é bombeado no sistema de ventilação dos trens e máscaras de oxigênio pessoais estão disponíveis”.

 [videolog 314417]

Na China, trem faz viagem inédita. Entre Pequim e Lhasa, no Tibete.Parte 01

por heliocjr – Publicado dia 24 de março de 2008 às 06:38

Domingo, 23/03/2008.Sônia Bridi embarcou no trem que fez a primeira viagem entre Pequim e Lhasa, no Tibete. Os vagões são divididos em categorias, desde a primeira classe até os assentos mais baratos.Conheça um pouco do Trem e do Tibete.- Parte 01

Agora, o anexo, de 16/02/2011, com legendas em inglês, recém enviado por Maria Adelaide.

Compreensivelmente ufanista, é de se admirar todo o cuidado na construção da linha férrea (preservação do ecossistema, respeito ao ecossistema delicado, composto de montanhas, geleiras), no atendimento aos passageiros, na ênfase ao progresso que trouxe à região do Tibet.

Qinghai-Tibet_Railway(LAI)

Ufa! Em 07-04-2014, não consegui com que o anexo abrisse. “Coisas da Web”.

Hoje, dia 08-04-2014, recomendo assistir, no YouTube, por meio do “link” abaixo, um documentário feito às escondidas antes da inauguração da Ferrovia Pequim – Lhasa:

http://youtu.be/rWTFzcuu8cI

Enviado em 05/12/2006

Documentário que mostra o cotidiano da capital, Lhassa e de lugares remotos do Tibet no último mês antes da inauguração da linha de trem que ligou a região remota e isolada ao mundo moderno que modificará radicalmente a região. O documentário mostra ainda a colônia tibetana em países vizinhos e sua maior liberdade de culto religioso e à figura do Dalai Lama.

Licença padrão do YouTube

 

Buscar, no YouTube, documentário sobre a construção da ferrovia Pequim – Lhasa, Construção Ferrovia Tibet – Missão Impossível, dividido em várias partes.

É muito importante que tenhamos acesso às informações de um lado e de outro…

Auto da Compadecida – Wikipédia, a enciclopédia livre segunda-feira, ago 15 2011 

 Para conhecer ou para relembrar: este é um bom começo.

Depois, procurar por trabalhos acadêmicos de análise dessa obra.

Tem “andado” em minha cabeça, muito, ultimamente, pois, na obra, as duas personagens principais (João Grilo e Chicó) são “salvas” por Nossa Senhora, no Julgamento após a Morte de ambos, porque Nossa Senhora se apieda de ambos por serem “vítimas” da opressão da sociedade oligárquica e intervém diante do Juiz (Nosso Senhor Jesus Cristo).

Muito importante entender o julgamento e a sentença de “inocentes” dentro do contexto; sentença válida.

No entanto, a “malandragem” contemporânea não pode ser desculpada desse modo, porque, a meu ver, a sociedade brasileira se tornou uma imensa “guerra de foice no escuro” em que os “oprimidos” querem levar vantagem daqueles que julgam (erroneamente) ser seus opressores.

Nossa solidariedade também tem limites: os de comportamento malandro contemporâneo não podem ser comparados às personagens de “Auto da Compadecida” que vão a julgamento.

Ultimamente, é difícil distinguir os que merecem nossa solidariedade daqueles que se comportam como os “mais espertos da sala”.

Auto da Compadecida – Wikipédia, a enciclopédia livre

1 OF US (TRADUÇÃO) – Joan Osborne (letra e vídeo) domingo, ago 14 2011 

 

1 OF US (TRADUÇÃO) – Joan Osborne (letra e vídeo)

What If God Was One of Us – YouTube domingo, ago 14 2011 

 

Enviado por em 10/11/2007

Remember: Not all people in this world received the same blessings that you have: opportunity, house, education and comfort. We must not forget that we don’t live without a purpose and this purpose is to help one another.

You can help them by helping me to spread the message of this video. You can add it in your favorite list or embed it on other sites. thanks

O berço neoliberal: a Inglaterra de Tatcher a Tottenham – Carta Maior domingo, ago 14 2011 

Caso não visualize esse email adequadamente acesse este link

Boletim Carta Maior – 25 de Julho de 2011
Ir para o site


O berço neoliberal: a Inglaterra de Tatcher a Tottenham

Os distúrbios de rua que sacudiram Londres e outras cidades inglesas nos últimos dias representam mais um capítulo da jornada de protestos que vem atingindo diversos desde o final de 2010. Dos protestos no Egito aos saques em Londres, há um percurso que, se por um lado apresenta diferenças e características próprias a cada país, por outro, trazem um elemento comum: a crise econômica e financeira internacional iniciada em 2008 está cobrando seu preço. O fracasso retumbante do modelo neoliberal de desregulamentação e enfraquecimento do Estado aparece nas ruas hoje como falta de emprego, moradia, vida digna e perspectiva de futuro. Não é irrelevante o fato de que esse modelo que agora sangra nas ruas nasceu em larga medida da Inglaterra de Margaret Thatcher.
Conforme mostra matéria do correspondente da Carta Maior em Londres, Marcelo Justo, os protestos dos últimos dias não começaram em Tottenham por acaso:
Tottenham é a zona com o maior nível de desemprego de Londres e uma das dez mais pobres do Reino Unido. Com 75% de cortes no orçamento do bairro, desapareceram os clubes juvenis, essenciais durante o verão e as férias escolares. Com tanto tempo livre nas mãos, com uma desigualdade onde as receitas dos mais ricos cresceram 273 vezes mais que as dos mais pobres, em uma sociedade na qual o dinheiro se converteu em valor supremo, surpreende realmente que estes fatos ocorram?
A Carta Maior preparou um especial para este fim de semana com reportagens e artigos que analisam esses protestos à luz de um modelo fracassado que foi cantado em prosa e verso durante pelo menos duas décadas.


Distúrbios de rua são novo golpe para David Cameron
Os distúrbios se converteram em uma prova de fogo para o governo de David Cameron, que já havia sido atingido pelo escândalo das escutas telefônicas e pela crise econômica. Em uma tentativa de recuperar a iniciativa em uma crise que o encontrou em férias na Toscana, o primeiro ministro indicou que estavam estudando medidas para impedir que se usem as redes sociais para incitar a “violência, desordem ou atos criminosos”, o aumento das penas e um sistema para avançar com programas contra a cultura das gangues violentas. A reportagem é de Marcelo Justo, correspondente da Carta Maior em Londres.
> LEIA MAIS | Internacional | 11/08/2011

Distúrbios em Londres: os limites da linha dura
Tottenham, ponto de partida dos distúrbios no sábado passado, é a zona com o maior nível de desemprego de Londres e uma das dez mais pobres do Reino Unido. Com 75% de cortes no orçamento do bairro, desapareceram os clubes juvenis, essenciais durante o verão e as férias escolares. Com tanto tempo livre nas mãos, com uma desigualdade onde as receitas dos mais ricos cresceram 273 vezes mais que as dos mais pobres, em uma sociedade na qual o dinheiro se converteu em valor supremo, surpreende realmente que estes fatos ocorram?
> LEIA MAIS | Internacional | 12/08/2011

Londres: por que aqui, por que agora?
Por que são sempre as mesmas áreas que se insurgem primeiro, o que quer que seja a causa? Pura coincidência? Estará relacionado com a raça, a classe, a pobreza institucionalizada e a tristeza da vida difícil do dia-a-dia? Não importa o Partido, não importa a cor de pele do deputado, eles reproduzem sempre os mesmos clichês. O artigo é de Tariq Ali.
> LEIA MAIS | Internacional | 10/08/2011

“Violência dos últimos dias é uma questão social”
O lojista Ken Smith tem a sua explicação para os protestos que fizeram o mundo todo virar os olhos para Londres, embora ela não seja simples. Para ele, há diversas causas escondidas no que muitos vêem apenas vandalismo e que começou sábado (6) como um protesto legítimo contra o suposto assassinato de um homem por agentes da Scotland Yard, a polícia britânica, na quinta-feira passada, no bairro de Tottenham, que registra altos índices de desemprego.
> LEIA MAIS | Internacional | 10/08/2011

Explode panela de pressão social nos subúrbios de Londres
Rebelião, quebra-quebra e saques nos arredores de Londres certamente não tem nada de organizados, mas são alguns dos primeiros sintomas a emergir da austeridade, da crise e do desemprego que assola a Grã-Bretanha. Uma semana antes dos eventos que entram para a história de Londres como as piores rebeliões em quase três décadas, um jovem negro da comunidade de Tottenham alertava, em um vídeo produzido pelo The Guardian, para a grande panela de pressão que tinham se tornado, principalmente, as ruas dos subúrbios londrinos. A reportagem é de Wilson Sobrinho, direto de Londres.
> LEIA MAIS | Internacional | 08/08/2011

Multidão protesta em Londres contra cortes nos serviços públicos
Mais de 300 mil pessoas foram às ruas da capital britânica neste sábado para se opor aos planos do governo de cortes de gastos públicos, na maior manifestação popular do gênero em décadas. “Eu nasci em 1945, no final da guerra, então eu cresci com educação pública e gratuita, eu fui para a universidade, eu tive acesso à saúde pública por toda minha vida e tudo isso agora está indo com os planos do governo, que são um assalto ideológico à esfera pública”, disse à Carta Maior a professora Harriet Bradley, da Universidade de Bristol.
> LEIA MAIS | Internacional | 27/03/2011

A morte da Europa Social
A história da Europa dependerá de como ela lidará com esta crise; se segue o curso pacífico do benefício mútuo e prosperidade econômica tão apreciados nos manuais de ciência econômica, ou se segue a espiral baixista da austeridade, que tanto tem tornado impopulares os planejadores do FMI, nas economias devedoras. É nesse barco que a Europa embarcará? Esse é o destino do projeto de uma Europa social, de Jacques Delors? É isso o que os cidadãos da Europa esperavam, quando adotaram o euro? Há uma alternativa, nem é preciso dizer. É que os credores do cume da pirâmide econômica arquem com as perdas. O artigo é de Michael Hudson e Jeffrey Sommers.
> LEIA MAIS | Economia | 15/02/2011

Nova onda de ativismo político cresce na Inglaterra
Uma nova onda de ativismo político cresce na Inglaterra como resposta aos planos de austeridade do governo conservador de David Cameron. Organizadores da Marcha para a Alternativa esperam atrair dezenas de milhares de ativistas de todo o país para o centro de Londres, no dia 26 de março, para pedir mudança nos planos do governo de rápidos e profundos cortes nos gastos públicos, os maiores desde a Segunda Guerra. Coalizão entre Conservadores e liberais democratas anunciou cortes de 80 bilhões de libras no orçamento dos próximos quatros anos. O artigo é de Wilson Sobrinho.
> LEIA MAIS | Internacional | 06/02/2011

Inglaterra: castiguem os ricos, não os desempregados
Os conservadores lançaram um ataque brutal às pessoas desempregadas para desviar as críticas dos verdadeiros parasitas: os ricos. Na semana passada, o governo anunciou que os desempregados que solicitam auxílio deverão realizar trabalhos não remunerados: caso se neguem a fazê-lo, perderão o subsídio. Os chefes e a imprensa da direita estão encantados. O Daily Mail anunciou com alegria: “Em uma nova ofensiva contra os parasitas sociais, os desempregados irresponsáveis terão que participar de um programa de trabalho exigente, estilo EUA, que incluirá a obrigação de realizar trabalhos de jardinagem, limpeza de lixo e outras tarefas manuais por apenas 1 libra a hora”. O artigo é de Viv Smith.
> LEIA MAIS | Internacional | 16/11/2010

O ocaso da “Terceira Via”
A auto-intitulada “Terceira Via”, em sua tentativa de estabelecer “diálogos” com o neoliberalismo terminou engolida por este. O Trabalhismo inglês não foi capaz de preparar o país para resistir à crise mundial, que arrasou importantes instituições britânicas e ampliou o desemprego e a miséria. Economicamente, além de não blindar a economia britânica, também conduziu o país num ritmo de crescimento que só fez reduzir sua relevância na economia global, reforçando a centralidade da economia alemã no contexto europeu. O artigo é de Tarso Genro e Vinicius Wu.
> LEIA MAIS | Política | 18/05/2010

A exumação do discurso neoliberal na mídia
A endogamia entre a mídia brasileira e as forças políticas do conservadorismo, uma parceria que impôs ao país uma agenda “de reformas” para liberar os mercados e submeter a sociedade, não é um fato isolado e ocorreu em praticamente toda a América Latina. Em 2003, por exemplo, a revista Veja publicou uma edição especial saudando os “campeões do neoliberalismo”, Margareth Thatcher e Friedrich von Hayek.
> LEIA MAIS | Economia | 13/10/2008


Qual a maior declaração de amor da sua vida? – Seção “Amar” – revista Sorria domingo, ago 14 2011 

 

Olá,
Estamos preparando a seção Amar da próxima edição da revista Sorria (www.revistasorria.com.br) e mais uma vez pedimos a sua ajuda!
O tema da vez é: a maior declaração de amor da sua vida.

Pode ser uma que você tenha recebido ou feito. Se você tem uma história de declaração de amor para contar, nos envie até 02/09.

Não esqueça de informar, por favor:
Nome:
Idade:
Cidade/Estado:
Telefone (não vamos divulgar essa informação, é apenas para poder entrar em contato se ficarmos com alguma dúvida):
Nem todos os depoimentos poderão ser publicados na revista. Faremos uma seleção dentre os relatos recebidos.
Para saber mais sobre a Sorria, acesse nosso site: http://www.revistasorria.com.br/site/o-projeto/
E se não quiser mais receber esses e-mails, é só avisar!
Muito obrigada!

 

Karina Sérgio Gomes

Repórter | karina@editoramol.com.br | (11) 3024-2442

Editora MOL

www.editoramol.com.br | (11) 3024-2444

MyHeritage Portugeese Blog – Usando a rede para salvar acervos quarta-feira, ago 10 2011 

 

MyHeritage Portugeese Blog


Usando a rede para salvar acervos

Posted: 09 Aug 2011 12:07 PM PDT

Ontem, colocamos aqui a experiência de um grupo de pessoas (550) que estão se divertindo e ao mesmo tempo preservando sua memória. Leia aqui.

Eles usam um Grupo montado no Facebook para se reunirem, trocarem memórias e lembranças e se fossem todos parentes, (são de alguma forma), estariam usando a maior Rede Familiar da Internet, MyHeritage.com.

Diferente da coleta de fotos, documentos e depoimentos que o seu site em MyHeritage permite, buscando entre seus parentes estas fontes históricas, a ideia aqui é trazer fotos e depoimentos de outras fontes que não sejam a sua família. Este sempre foi um desafio para qualquer genealogista pois é dispendioso e nem sempre traz resultados. Não se pode sair em busca de todas as pessoas que conviveram com você e olhar foto por foto o acervo desta pessoa. é quase impossível, da forma que vamos descrever, o acervo vem até você.

Sabe aquela foto de você ainda criança entre estudantes do ensino básico? Quem foi a sua professora, você se lembra dela? A festinha de aniversário que você foi e que foi registrado em fotos ou vídeos? São momentos que talvez você nem se lembre mais, mas continuam na memória de outras pessoas.

A ideia é bem simples, mas exige um bocado de disposição, e algumas regras, para que tudo dê certo.

Você vai montar o seu grupo de amigos de infância, ou conhecidos da mesma cidade.

O importante é que todos saibam que o local do grupo é democrático, qualquer opinião é bem vinda mas todos deverão se respeitar. O grupo será um local onde não existem opiniões políticas, religiosas ou sociais, assim como em uma festa de família onde as palavras podem magoar, no grupo também pode ocorrer isto, então retira-se imediatamente os tópicos que possam trazer discussões desnecessárias e não produtivas ao grupo.

Primeiramente é necessário que você dê o início ao grupo.

MONTAGEM DO GRUPO – Usando o Facebook

(1) – Verifique primeiramente, fazendo uma pesquisa no Facebook se já não existe em sua cidade algum grupo já formado.

(2) – Monte o grupo, (recurso disponível em sua página), usando um nome bem sugestivo para que seus amigos possam se identificar e se localizarem imediatamente. Usar o nome da cidade é bastante recomendado, mas este nome pode já estar sendo usado com outra finalidade o que vai inviabilizar o projeto o que te dá a missão da escolha correta deste nome.

(3) – Usando as configurações do grupo, coloque como “fechado” para que somente pessoas convidadas possam entrar no grupo. Como você será o mediador, convêm a cada novo membro convidado, você verifique na página deste membro se os dados condizem com os objetivos do grupo de reunir apenas pessoas da mesma cidade. Desta forma, pessoas já convidadas podem também convidar outros amigos que sejam amigos em comuns ou pessoas da cidade.

(4) – Após a abertura do grupo, verifique entre os seus amigos do Facebook aqueles que fazem parte de sua infância e de sua cidade, convide-os.

(5) – Você é o mediador deste grupo, não tenha nenhuma dúvida em excluir os membros que porventura não estejam postando mensagem adequadas e que levem o grupo a uma confusão de objetivos.

Dando Start – Começando.

Coloque a primeira foto e para isso procure mostrar fotos de grupos de estudantes onde constem bastante personagens. Estas fotos fazem muito sucesso pois a lembrança dos tempos de escola são bem marcantes em todos nós. Procure não identificar todas as pessoas você mesmo, deixe o grupo se desenvolver. Peça aos outros membros do grupo inicial de amigos que façam o mesmo, ou seja, convidem outros colegas de escola e coloquem novas fotos de escola ou colégio para que os outros ajudem na identificação. O desenvolvimento das fotos que serão postadas, identificação vai se dar de forma natural, mas incentive sempre para que as pessoas procurem novas fotos em seus arquivo. Faça o monitoramento do grupo e mantenha sempre a ordem nas postagens das mensagens para que todas as pessoas possam opinar.

Você vai perceber que começarão a sair dos baús fotos cada vez mais antigas, e que trazem um pouco da história da cidade, das pessoas e do desenvolvimento da cidade.

Você vai perceber também que seus amigos estão com fotos suas que você nem conhecia e que foram tiradas em diferentes momentos de sua vida e você nem se lembrava mais. Este talvez seja o grande sucesso de seu grupo, pois se você estiver montando a sua árvore genealógica, será possível achar fotos suas e de seus parentes em várias caixas de sapato, ou álbuns de outras pessoas.

Nesta foto (1962) aparecem alguns de meus parentes – Acervo de uma amiga.

O aparecimento de fotos antigas é bem natural pois as pessoas desejam mostrar suas antigas fotos e em cada foto existe uma história a ser contada, um prédio que chama a atenção, uma roupa diferenciada e tantos outros detalhes que nos fazem relembrar do passado.

Cuidado: Pode ocorrer de que, no grupo, apareçam pessoas querendo fazer propaganda de comércio ou empresas, ganharem votos ou apenas tumultuarem o grupo, seja rápido e elimine estes entraves imediatamento com o seu poder de mediador.

Sua coleção de fotos vai aumentar assustadoramente.

Agora é hora de você montar a sua árvore genealógica com estas fotos que vocês trocaram no grupo. São momentos registrados por outras pessoas, são comentários feitos pelos seus amigos e fotos que você nem vai acreditar que existiam. Se você ainda não montou a sua árvore genealógica comece agora. Clique aqui e dê início.

Depois de montado o seu grupo, (e não deixe de experimentar), nos chame para fazer uma visita. Esta é uma ideia tão simples mas que já trouxe a um grupo de pessoas verem um documento guardado a muitos anos e que não só fez a história das pessoas, mas também a história da cidade e do país. Um documento centenário, peça de museu que se tornou público.

Documento do Império – Acervo Museu Major Novaes

Procure preservar o seu acervo de fotos, identificando as pessoas na foto e use este recurso bem simples de compartilhar de uma forma segura e pratica as suas fotos. No seu site em MyHeritage, esta facilidade já existe, você pode dividir com seus parentes fotos, vídeos e memórias, mas, somente com seus parentes. É necessário que você saia em busca de outros acervos onde possam existir imagens suas para ampliar o conhecimento de sua pessoa para as gerações que ainda estão por vir e que irão agradecer por você ter tido a preocupação de preservar documentada a sua vida.

Caso você tenha gostado da ideia e tenha montado o seu grupo nos conte a sua experiência. Comente.

Email delivery powered by Google

MyHeritage Portugeese Blog – Preservar o passado e não destruir o futuro quarta-feira, ago 10 2011 

 

MyHeritage Portugeese Blog


Preservar o passado e não destruir o futuro.

Posted: 08 Aug 2011 11:20 AM PDT

É muito comum nos depararmos com histórias contadas pelos usuários de acervos e arquivos destruídos pelo tempo ou pela própria ação dos homens. Nosso blog no idioma inglês iniciou uma campanha mundial a respeito deste assunto. Em muitos casos grande parte do memória familiar é perdida em situações minímas como mudanças ou limpeza do sótão, ou pior ainda, quando se trata de destruição pelo próprio Estado pelo abandono ou pela falta de verbas. São perdas irreparáveis que não lamentamos agora, mas muitos irão lamentar no futuro. Estamos escrevendo a história do nosso passado e somos responsáveis também pela nossa história.

Enquanto somos historiadores somos também História.

O motivo pelo qual estou escrevendo este blog hoje é para reportar uma experiência que estou participando a mais de 3 meses e que me trouxe muitas lembranças e imagens, muito conhecimento de meu passado e muita diversão.

Você vai querer experimentar também.

A tempos a trás, um grupo de amigos decidiu se reunir para contar histórias e casos de seu passado, eu fui convidado para este encontro, fizemos um grupo fechado no Facebook aberto apenas por convites feitos de uns para os outros. A primeira foto foi postada com o intuito de fazer com que o grupo ajudasse na localização e identificação de velhos companheiros de infância, depois vieram outras fotos, e outros amigos foram entrando, e hoje já somam mais de 550 memórias pessoais que se tornaram uma grande memória coletiva.

Fernanda Padula, uma jovem entusiasta do grupo nos reporta : “Esse Grupo é muito legal , porque nele podemos resgatar um pouco da história da nossa cidade e de nossos antepassados, sempre é bom voltar um pouquinho no passado , tenho muita curiosidade de saber como as pessoas viviam em gerações passadas seus costumes, etc.”

O Grupo é formado por pessoas da mesma cidade, nascidos ou residentes e também por pessoas que de alguma forma viveram na cidade, uma comunidade virtual que ultrapassou os limites geográficos do país e foi encontrar memórias em diversas partes do mundo onde exista uma pessoa com a memória, fotos antigas e vontade de compartilhar suas lembranças.

Uma maravilhosa viagem ao passado.” diz Gilson Junior um participantes desta experiência que movimentou muitas caixas de documentos, muitos álbuns de fotografia e muitos baús que diariamente expõe cerca de 5 novas fotos antigas para analise e calorosas discussões.

O Grupo se tornou um momento de descontração e surgiu quando existia a dúvida sobre alguns personagens de uma foto que, quando postada trouxe aos poucos que deram inicio ao projeto a ideia de que poderiam convidar outros amigos para participarem de suas memórias, assim, de foto em foto, de amigo em amigo o grupo expandiu e tomou uma grande proporção. Historiadores conhecidos se aliaram aos participantes do Grupo oferecendo sua ajuda na identificação de pessoas, história e depois prédios antigos que apareciam nas fotos.

Antonio Rolim, um dos fundadores do grupo nos diz que encontrou amigos a muito afastados e reforça uma das regras do grupo, “... aqui vim a descobrir interesses comuns a todos … a história da cidade por uma ótica de pessoas comuns como nós, sem influência política, social, ou religiosa…”

Algumas destas fotos eram bastante enigmáticas, pois mostravam pessoas e prédios hoje desconhecidos da maioria das pessoas que, pelo desenvolvimento da cidade, foram demolidos ou reformados perdendo a sua característica original o que levou ao estudo minucioso das muitas fotos postadas de épocas diferentes e que permitiram contar ou recontar histórias.

…o que não pode acontecer é perder a oportunidade de preservar nossa história e deixar que se percam documentos tão importantes.” diz Geraldo Magela, um dos integrantes do grupo.

Esta participação de muitas pessoas trouxe o retorno a um hábito muito comum a tempos atrás, praticado por nossos pais e avós e que a modernidade fez perder, que é o contato com o vizinhos e amigos para discutir assuntos da comunidade e contar histórias.

Elizabeth Reimer Sampaio expressa assim: “Adoro lembrar do centro antigo da cidade, dos prédios, das escolas… Dos conhecidos daquela época… AmoOOOO achar alguém que queira conversar do passado, lembrar das pessoas que de alguma forma passaram por nossas vidas e hoje estão distantes….”

Agora o melhor de toda esta história. Uma pesquisa feita com os participantes do grupo revelou que 92% dos integrantes eram a favor da formação de um GRUPO NÃO VIRTUAL que os representasse e que tivesse como objetivo a preservação do patrimônio da cidade. Sem política, sem religião e sem diferenças sociais.

Primeiras impressões juntamente com MyHeritage

Uma atitude que veio da vontade da maioria e que tomou corpo quando nossa equipe MyHeritage articulou juntamente com os moradores da cidade uma primeira reunião deste grupo para dar andamento a formação do Instituto Histórico, Genealógico e Geográfico de Cruzeiro. Uma atitude que MyHeritage apóia pois é um dos nossos lemas permitir que a história seja universal e distribuída para todos.

Este Instituto esta no caminho certo e tem integrantes das diversas camadas sociais, de diversas representações profissionais, apaixonados por história e genealogia, disposição para lutar pelos seus princípios e um grande trabalho pela frente.

Você gostou da ideia? Amanhã, estaremos postando a fórmula de sucesso deste grupo e de como você também pode fazer em sua cidade ou comunidade algo parecido e montar uma instituição pública e privada que defenda o patrimônio coletivo. E nos convidar para participar também.

Vamos divulgar todas as boas ideias que salvem os milhares de acervos espalhados e que possam estar correndo riscos.

Email delivery powered by Google

Mostra “Imagem e Tradição” em São João da Boa Vista – 13/08 a 10/09/2011 quarta-feira, ago 10 2011 

Convite reenviado pelo amigo Júlio César, e, dentre os dizeres da mensagem encontramos:

“Imagens sobre Congado, Maracatu, Bumba-meu-Boi, Tambor de Crioula, Folias do Divino, Folias de Reis
são contempladas nesse diálogo entre Pintura e Fotografia”.

oka_imgtrad_web

Descarte certo! Leve seu lixo eletrônico ao local certo: Praça Victor Civita – 10 a 14/08 quarta-feira, ago 10 2011 

 

Editora Abril © 2011

‪A ROSA DE HIROSHIMA‬ – YouTube segunda-feira, ago 8 2011 

 

‪Rapsodia in Agosto (scena finale)‬ – YouTube segunda-feira, ago 8 2011 

 Dublado em italiano, a cena final do filme “Rapsódia em agosto” mostra a avó revivendo o dia do ataque a Nagasaki.

Hiroshima Peace Memorial Museum WebSite segunda-feira, ago 8 2011 

 Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Hiroshima Peace Memorial Museum WebSite

Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki; Wikipédia, a enciclopédia livre segunda-feira, ago 8 2011 

 Determinante para o fim da 2.ª Guerra Mundial, os ataques, entre 07 e 09 de agosto de 1945, a Hiroshima e Nagasaki, podem ser acompanhados por meio de fatos anteriores, fotos, fatos posteriores, monumentos que foram construídos nos locais atingidos.

Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki – Wikipédia, a enciclopédia livre

Resenha do filme Rapsódia em agosto, de Akira Kurosawa segunda-feira, ago 8 2011 

 

Trabalho acadêmico:

Resenha do filme “Rapsódia em Agosto”, de Akira Kurosawa

Nova Sorria já à venda! Edição 21 – Editora Mol sábado, ago 6 2011 

 




Compre aqui

A nova Sorria já está à venda!
Clique e confira os destaques da edição 21, que acaba de chegar às lojas

Já conhece a onda do consumo compartilhado?
Confira uma lista de links que preparamos para que você conheça diferentes locais onde a regra é saber dividir e doar!
Clique aqui e saiba mais



Por debaixo da cordinha
Na seção Movimentar mostramos diversos esportes que podemos realizar com a utilização da corda. Confira aqui o vídeo exclusivo do Pé de Mola, um grupo que revolucionou o velho conceito da brincadeira de pular corda!
Aprender a dizer adeus!
As nossas queridas lousinhas estão de volta em mais uma edição! Desta vez, perguntamos às pessoas o que elas aprenderam com as despedidas que enfrentaram ao longo da vida. Veja no que deu clicando na foto acima!
Respeitável público…
Se você sempre gostou de circo (ou nunca entrou em um), preparamos uma lista com alguns espetáculos bem bacanas para você apreciar! Tem shows para todos os gostos, bolsos e em diferentes lugares do Brasil. Confira!

EDITORA MOL Rua Andrade Fernandes, 303, sala 3, Alto de Pinheiros, São Paulo / SP
contato@revistasorria.com.br | (11) 3024-2444

Secretaria da Fazenda / SPPREV Informativo de 1.ºjunho2011 – disponível em arquivo “pdf” sexta-feira, ago 5 2011 

Disponibilizo, em arquivo extensão “pdf”, o Informativo mencionado, que trata dos seguintes assuntos:

SPPREV assume folha de pagamento dos inativos da administração direta.

Entenda como funciona o processo de concessão de aposentadoria dos servidores civis na SPPREV.

Outros poderes, órgãos e entidades.

Editorial: Prezados Participantes,

SPPREV assume folha de pagamento da administração direta: Aposentadoria compulsória; Atenção; Em Tempo (o que é e o que não é atribuição da SPPREV).

Você já fez o seu recadastramento?

Comprovante de pagamento; Novidade; Importante.

SPPREV implanta novo sistema de teleatendimento.

Perguntas e Respostas.

Expediente.

Secretaria da Fazenda_SPPREV Informativo 01junho2011

‪The Valet.mpg‬‏ – YouTube – O manobrista bêbado ataca novamente quinta-feira, ago 4 2011 

 

Como podem observar, embora eu deteste “pegadinha”, gostei muito desta – repetição da anterior – mas que foi postada, no YouTube, em 12/09/2010.

‪DRUNK VALET – YouTube – Manobrista bêbado quinta-feira, ago 4 2011 

 

Manobrista bêbado – você deixaria que ele pegasse seu carro para manobrar e estacionar?

Postado em 16/07/2011, no YouTube – enviado pelo amigo Joaquim Emídio.

 

SPPREV – São Paulo Previdência – inativos receberão reajuste de 13,8% em 15agosto2011 quinta-feira, ago 4 2011 

 Acredite! Confirme no link abaixo:

SPPREV – São Paulo Previdência

De acordo com as Leis 1.143/11 e 1.144/11, que preveem o aumento escalonado de mais de 40% no salário-base de professores e servidores da Educação para os próximos quatro anos, a SPPREV informa que fará o pagamento dos inativos e pensionistas no mês de agosto contemplando o reajuste de 13,8% previsto para este ano, sendo o mesmo retroativo ao dia 1º de junho.

Entretanto, devido a diferenças de sistemáticas no processamento de folhas de pagamento, os valores referentes ao reajuste e aos retroativos dos aposentados e pensionistas serão pagos no dia 15 de agosto, por meio de folha suplementar, enquanto o salário atual  será pago normalmente no 5º dia útil. A partir de setembro o valor do reajuste já será incorporado ao pagamento do benefício.

Demonstrativos de Pagamento – Inativos – Caminho das pedras para imprimi-los quinta-feira, ago 4 2011 

Importante: não ignore o endereço eletrônico da Secretaria da Fazenda, para poder imprimir Demonstrativos de Pagamento anteriores aos que constam no endereço da SPPREV.

Comprovante de Pagamento dos Inativos da Administração Direta

Por decisão do Banco do Brasil, a partir desse mês [Secretaria da Fazenda, SPPREV São Paulo Previdência, São Paulo, 1.º de junho de 2011, 5.ª edição, Ano 01, recebido por Maria Lúcia no dia 14/07/2011], não haverá mais distribuição, na rede bancária, dos comprovantes de pagamento de inativos da administração direta. Em decorrência dessa medida, o aposentado tem duas opções para ter acesso ao seu holerite:

1)     Por meio do website da São Paulo Previdência – SPPREV, com a opção de imprimir por meio de qualquer computador sem nenhum custo; ou

2)     Por meio do envio pelos Correios para o endereço cadastrado, mediante pagamento da importância destinada à postagem (cerca de R$1,00).

Caso opte pelo recebimento na residência, é necessário haver a autorização para descontos em folha de pagamento do valor da postagem. Para isso, a São Paulo Previdência e a Secretaria da Fazenda encaminharam carta explicativa a todos os aposentados [Maria Lúcia Bernardini declara nunca ter recebido essa carta explicativa, Sinhá, cadê “seu” Padre?] contendo o termo de opção para recebimento do holerite impresso na residência. Caso prefira, o aposentado também pode manifestar sua opção pelo site da SPPREV

 

www.spprev.sp.gov.br

 

na funcionalidade “Serviços On-Line”.

Acessei “Consulte sua aposentadoria”, optei por imprimir direto do site, cadastrei-me e, VIVA, imprimi os Demonstrativos de Pagamento de junho, julho e agosto de 2011, por meio do link

http://www.spprev.sp.gov.br/inativos.aspx

IMPORTANTE: Nesse mesmo Informativo citado, alerta sobre RECASTRAMENTO anual de pensionistas e inativos civis e militares que deve ser, sempre, realizado no mês do aniversário, cujo texto afirma: “Atualmente, o recadastramento pode ser realizado em qualquer agência do Banco do Brasil ou em um dos locais de atendimento da SPPREV, na capital e no interior”.

Carta Maior – Arte & Cultura – Apagão "made in USA" quarta-feira, ago 3 2011 

 

Carta Maior – Arte & Cultura – Apagão “made in USA”

Refiro-me muito, neste espaço, aos “mais espertos da sala”.

É o título de um documentário – “Enron – os mais espertos da sala” – ao qual tive oportunidade, depois de ler em “Carta Maior”, de assistir.

Reproduzo o que pode ser acessado acima:

De 20/04/2007

Matéria da Editoria:
Arte & Cultura
Novo acesso em: 03/08/2011

CLAQUETE

Apagão “made in USA”

O filme “Enron – Os Mais Espertos da Sala” é obrigatório para qualquer um interessado em conhecer os mecanismos que movimentam a lógica capitalista que, cedo ou tarde, provocará danos irreversíveis ao planeta e colocará de joelhos a raça humana – inclusive aqueles que se julgam os mais espertos da sala.

André Lux*

Data: 20/04/2007

Quando alguém vier pregar as maravilhas oriundas do enxugamento do Estado e das privatizações, pergunte se ele já assistiu ao excelente documentário Enron – Os Mais Espertos da Sala. Se a resposta for “não”, então nem perca seu tempo discutindo. Não vale a pena. Quem acredita nessa ladainha que demoniza a regulamentação e o controle do Estado e pinta as empresas privadas como a salvação da economia só pode ser ingênuo ou mal intencionado.
O mais emblemático (e estarrecedor) exemplo das conseqüências destruidoras dessa corrente de pensamento criada pelo “consenso de Washington” e chamada carinhosamente de neoliberal está registrado neste filme assinado por Alex Gigbey. Exportada para o resto do mundo e implantada com maior voracidade nos países ditos de terceiro-mundo (Brasil, inclusive), essa ideologia que traveste o que existe de mais selvagem no capitalismo como sendo algo moderno, natural e irreversível, moldou e travou a mentalidade das pessoas na busca pelo consumismo sem limites (“consumo, logo existo”) e jogou a humanidade para a beira do abismo.
O caso da Enron ilustra de forma cabal o que acontece quando o cinismo, a arrogância, a ganância e a manipulação da informação juntam-se sem qualquer limite e controle externo. Apostando no que existe de mais agressivo em termos de marketing e relações públicas, seus executivos conseguiram elevar os preços das ações da empresa a níveis estratosféricos sem que houvesse lastro real na contabilidade. Isso se deu pela aplicação de uma técnica contábil absurda chamada de mark-to-market, por meio da qual projetavam lucros exorbitantes a partir do fechamento de transações que nem ainda haviam sido completadas, entre outras práticas simplesmente ilegais.
E, mesmo cientes da fragilidade e irracionalidade dos seus negócios, os manda-chuvas da Enron continuavam a propagar a solidez da empresa aos quatro ventos e estimulavam a compra das suas ações inclusive entre seus pobres funcionários que investiram nelas seus preciosos fundos de pensão. Um das coisas que mais chama a atenção nessa história absurda é a maneira como a mídia e os analistas financeiros aceitavam e festejavam o “sucesso” da empresa sem levantar uma questão sequer a respeito desse verdadeiro milagre econômico – nem o fato da Enron atuar em uma dos mercados mais complexos e arriscados do mundo, que é o da prospecção e consumo de energia elétrica e gás, levantou suspeitas entre os “formadores de opinião” estadunidenses! Como se vê, o pensamento único propagado como verdade absoluta e incontestável não é privilégio da imprensa corporativa brasileira…
Todavia, o fato mais chocante deu-se quando negociadores (traders) da Enron literalmente derrubaram as usinas de força da Califórnia para fazer subir o preço da energia elétrica e salvar as finanças da empresa, prejudicando a economia do Estado e arriscando a vida de milhares de pessoas. Essa operação criminosa está toda documentada e é apresentada didaticamente no filme, inclusive com gravações em áudio das conversar entre os negociadores, que não apenas falavam abertamente do golpe em andamento, como debochavam do povo que estava sofrendo as conseqüências. Qualquer semelhança com o “apagão” ocorrido no (desculpem o trocadilho) apagar das luzes do governo Fernando Henrique Cardoso é mera coincidência?
Está aí representado o ápice do que o pensamento neoliberal, que visa ao lucro financeiro acima de tudo e de todos, significa. Uma das conseqüências mais nefastas desse “apagão” operado pela empresa foi a queda do então governador da Califórnia que acabou sendo substituído, via um recall eleitoral no meio do mandado, pelo ator Arnold Schwarzenegger (não por acaso do mesmo partido dos Bush).
E todas essas barbaridades aconteceram graças às brechas encontradas nas novas leis anti-protecionistas e ao suporte do governo Bush, recém-eleito na época, cuja família mantinha laços estreitos com o fundador da Enron, Ken Lay, que chegou a ser cogitado para assumir uma pasta no secretariado do governo federal antes de ser condenado em seis acusações de fraude corporativa e morrer de ataque cardíaco em 2006 enquanto esperava a sentença.
No final, as ilusões criadas pelo criativo CEO da Enron, Jeffrey Skilling (condenado em 19 acusações de fraude corporativa), acabou e a empresa faliu totalmente em questão de semanas, deixando na miséria todos seus funcionários – mas não seus altos executivos que, antes da derrocada final, já haviam vendido todas suas ações obtendo lucros astronômicos.
Essa história sórdida sobre os bastidores do capitalismo selvagem teria ficado oculta não fosse o trabalho dos jornalistas Bethany McLean e Peter Elkind, que dedicaram anos na investigação do caso Enron até a publicação do livro que dá nome ao filme. Graças a isso, os principais ex-executivos da Enron foram presos e processados pela Justiça dos EUA. Prova de que o bom e velho jornalismo investigativo, praticamente extinto no Brasil, pode trazer contundentes resultados.
Enron – Os Mais Espertos da Sala é um filme obrigatório para qualquer pessoa interessada em conhecer os reais mecanismos que movimentam a lógica capitalista a qual, cedo ou tarde, provocará danos irreversíveis ao planeta e colocará de joelhos toda a raça humana – inclusive aqueles sujeitos que se julgam os mais espertos da sala.
(*) Leia mais de André Lux em http://tudo-em-cima.blogspot.com/

‪WWF – Think again‬‏ – YouTube quarta-feira, ago 3 2011 

 Postado, no YouTube, em 24/05/2007, mas só tomei conhecimento, agora, graças ao amigo Joaquim Emídio, dono da Fazenda Paraizo em Itu/SP

Propaganda da WWF – “Think again” sobre uma de nossas formas de poluição da água.

‪Comercial da Cerveja Antarctica – 1974‬ – YouTube quarta-feira, ago 3 2011 

Contribuição do amigo Júlio César – autor de TCC sobre Projeto para a Fazenda Paraizo – Itu/SP 

O valor de um pai – MyHeritage Portuguese Blog quarta-feira, ago 3 2011 

Origem: MyHeritage Portuguese Blog

Adivinhem se não chorei com o texto de Walter Olivas e com o vídeo que foi inserido?

Imperdível!

O valor de um pai.

Agenda Cultural | Salto | Agosto 2011 quarta-feira, ago 3 2011 

 agenda-agosto2011(1)_Salto SP_origem Balcão de Informação Turísticas

Rosana Alves

Balcão de Informações Turísticas
Secretaria Cultura e Turismo
Prefeitura da Estância Turística de Salto
11 4021-0530 / 4028-1649

‘O brasileiro reclama de quê?’ – O Globo segunda-feira, ago 1 2011 

Já recebi várias vezes a mensagem, formatação Power Point sobre o fato de o brasileiro reclamar e de quê.

Excelente, mas preferi postar o texto original que deu origem a essa mensagem.

Contribuição de um leitor do jornal “O Globo”.

Agradeço à amiga Rosana Branco pela indicação do conteúdo.

Publicação: 26/02/2010.

Artigo do leitor [de “O Globo”] Ubiratan Ferrari Bonino

Certa vez, numa viagem a trabalho na Holanda, um colega de empresa que me recepcionava naquele país gentilmente foi ao hotel onde eu estava hospedado me pegar para me dar uma carona até a sede da empresa. Era cedo e estava bastante frio. Ao chegar ao pátio de estacionamento, ele parou o seu carro a uma distância de pelo menos uns cem metros da porta de entrada, e, como no local tinha poucos carros e havia vagas próximo da entrada, curiosamente perguntei-lhe: “por que havendo tantas vagas disponíveis próximo da entrada, você não parou mais perto?”. Ele, sem titubear, respondeu: “estamos chegando muito cedo e temos ainda bastante tempo, mas muitos colegas chegarão em cima da hora e provavelmente vão precisar dessas vagas para não se atrasarem na marcação do ponto!”.

Esse exemplo de cooperação foi tão marcante para mim que acho que não vou esquecê-lo nunca mais. Numa outra ocasião, também a trabalho, dessa vez na Suíça, eu e um colega resolvemos tomar um sorvete após o almoço e no caminho de volta ao escritório não encontramos nenhum cesto de lixo disponível. Ele, sem o menor acanhamento e querendo ter as mãos livres, embrulhou o papel do sorvete num guardanapo e o depositou no bolso do paletó; colocou a garrafa d’água vazia dentro da sua pasta de couro e ficou tudo resolvido até encontrar um cesto de lixo para se livrar daqueles objetos inconvenientes.

Recentemente, fiquei assustado quando vi um vídeo na internet em que um político americano, após confessar um crime de apropriação fraudulenta do dinheiro público, reuniu a imprensa para pedir desculpas e, surpreendentemente, tirou uma arma de um envelope, colocou no céu da boca e fez o disparo. Foi uma cena chocante, mas de uma representatividade singular.

Diante de tantos exemplos de civilidade e até mesmo de constrangimento e fraqueza, como no caso do político, e com lembranças de atitudes tão marcantes, não dá para não lembrar quando num dia desses, a caminho do cliente aqui em casa, no Rio, fui atropelado por uma latinha de refrigerante jogada da janela do ônibus em plena Avenida Rio Branco. Cinquenta metros mais adiante, aguardando a luz verde do sinal, uma senhora atravessando a rua com duas crianças despejava restos, em pleno asfalto, de um sanduíche mal embrulhado e nem se tocava.

Logo um filme veio a minha cabeça e, como brasileiro, me perguntei: você reclama de quê? Se nós trocamos voto por dentadura ou por um saco de areia? Se para chegar mais rápido, mesmo não precisando, saímos cortando pelo acostamento à direita? Se furamos fila de banco, de cinema e de tudo o que podemos furar? Se compramos atestado médico para faltar ao trabalho? Se mudamos a cor da pele para ingressar na faculdade pelo sistema de cotas? Se pedimos a nota fiscal do dobro do que pagamos para apresentar à empresa quando em viagem a serviço? Se dentro do ônibus sentamos na cadeira do idoso ou do deficiente e fingimos não vê-lo? Se tiramos cópia dos livros das crianças na fotocopiadora da empresa e achamos normal? Se usamos o vale-transporte, que é para ir ao trabalho e voltar dele, para ver o nosso time no Maracanã? Se usamos carteira de estudante falsificada para pagar meia entrada no cinema? Se tomamos iogurte no supermercado e disfarçamos a embalagem para não pagar? Se escondemos dinheiro de propina na meia ou na cueca para não sermos pegos no flagra? Se superfaturamos as obras do nosso governo para levar o nosso? Se batemos o ponto no trabalho e na “cara de pau” vamos imediatamente para o aeroporto pegar o avião e depois ainda recebemos pelo dia não trabalhado, e quando somos apanhados pela imprensa ainda tentamos justificar dizendo que estamos indo trabalhar na base? Se repassamos milhões de reais para o MST – Movimento dos sem terra – para eles invadirem propriedades particulares e produtivas e ainda criamos um projeto para não considerá-los criminosos? Se somos todos farinha do mesmo saco, e zoamos com a ética quando falamos bem alto que se lá estivéssemos iríamos nos “dar bem”?

Você tem dúvidas? Você urina na rua, dá a volta na sua empresa, sonega, suja as praças, dirige bêbado, vota em político corrupto e está reclamando do quê? Cada um tem o país que merece, com seus malandros, seus reis e seus bobos da corte.

‘O brasileiro reclama de quê?’ – O Globo