Cavalgadas no Feriado na Rosáro – Itu – setembro 2010 terça-feira, ago 31 2010 

Veja a programação especial de cavalgadas que a Ruraltur preparou para você!

Cavalgada das Fazendas Históricas

Clique aqui e veja um show de belas imagens de nossas cavalgadas.

E mais:

Dias 5 (domingo), 6 (segunda) e 7 (terça)- Passeios a cavalo pela manhã com agendamento –  R$ 25 a hora por pessoa.

Dias 5 (domingo), 6 (segunda)  e 7 (terça) – Cavalgada do Pôr-do-sol

Encontro as 15h na Rosário para a escolha dos cavalos. Saida as 16h e chegada às 18h

Valor: R$ 48 por pessoa

Informações: (11) 7381-3525

Esperamos por você!

Ruraltur

www.rural.tur.br

www.ruralturturismo.blogspot.com

Anúncios

MyHeritage.com.br – Blog português segunda-feira, ago 30 2010 

Recomendação para leitura e, quem sabe, para quem está interessado em recuperar histórias de família e montar a árvore genealógica.

MyHeritage.com.br – Blog português

ONE OF US – letra, tradução, áudio- Joan Osborne – “E se Deus fosse um de nós?” sexta-feira, ago 27 2010 

Dá-lhe, Antena 1! Essa canção é antiquíssima, mas eu só a conheci por meio de uma série, na TV paga, e só ouço na Antena 1.

Meu inglês não é tão bom a ponto de, na série, entender a letra toda, mas a pergunta que se repete, na canção (E se Deus fosse um de nós?) sempre me impressionou.

Como sempre, a letra da canção precisa ser muito bem interpretada por quem não tenha, também, desvio de personalidade e, principalmente, não seja hipócrita fariseu, ou seja, pobre de espírito.

ONE OF US (TRADUÇÃO) – Joan Osborne (letra e vídeo)

Fiz “busca” e fiquei com a primeira opção que encontrei: letra em inglês, tradução e, de brinde, ouvir a canção inteira, interpretada por Joan Osborne.

Para quem já estava “careca” de conhecer essa canção, reveja.

Para quem não a conhece, acesse o link e se encante.

YouTube – MUSEU MEMORIAL IMIGRANTES – DVD MONUMENTOS SAO PAULO quinta-feira, ago 19 2010 

Consulte outras opções do YouTube sobre o assunto.

YouTube – Mérica, Mérica com letra. Vídeo de Videira SC quinta-feira, ago 19 2010 

 

Da Itália nós partimos, de Pierantonio Zavatti, Editora Gráfica IGIL, Itu/SP quinta-feira, ago 19 2010 

Da Itália nós partimos

Histórias e esperanças de imigrantes emiliano-romanholos no Brasil e de seus descendentes que vivem em Salto, Itu e Sorocaba (São Paulo)

Autor: Pierantonio Zavatti, nascido em Forlí (Itália) em 1943, é professor de matérias literárias, jornalista, membro da consulta dos emiliano-romanholos no mundo e conselheiro regional das Associações Cristãs de Trabalhadores Italianos – ACLI ou Acli.

2010 Editora Gráfica IGIL [graficaigil.com.br] e, claro,

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

A Gráfica Igil é responsável por calendários (ou folhinhas, como chamamos carinhosamente] espetaculares que sempre enviou ao meu pai, Agenor Bernardini, dentro do relacionamento comercial e de amizade, mantidos há mais de 50 anos. Atualmente, quem o recebe é meu irmão, Washington Luiz, que me emprestou o exemplar do livro citado nesta inserção.

Meu interesse pelos imigrantes italianos se justifica pelo fato de meus bisávos Micai e Bernardini (lado paterno) serem “oriundi”.

Mantenho, no MyHeritage.Com, uma árvore genealógica da família Bernardini (bisavós Pietro e Maria Fortunata Bernardini) que foi montada a partir das informações e fotos obtidas com os descendentes.

Foi com imensa alegria que tomei conhecimento desse lançamento do livro Da Itália nos partimos, com um exemplar nas mãos, porque, além de ser um testemunho do bom relacionamento do autor, Pierantonio Zavatti, com o Brasil, é, também, uma homenagem aos 400 anos de Itu.

Tomo a liberdade, portanto, de redigitar a apresentação de Silvia Bartolini, Presidente da Consulta dos emiliano-romanholo no mundo, página 09:

“Na perda de sentido que caracteriza grande parte da informação proveniente da comunicação em massa cotidiana, creio que seja prudente, como faz Pierantonio Zavatti neste volume, ocupar-se de memórias, de estórias vivivadas, ricas de sentido e que representam uma condição humana especial: a emigração, a diáspora, a erradicação.

Como consultor representante das Acli regionais e, sobretudo, pela sua vocação forte para o ensino, Zavatti esclarece o sentido de comunidade e da transmissão do saber contando estórias.

A partir de sua longa experiência no Brasil, aonde conduziu cursos de língua italiana para a comunidade de Salto e Itu (duas cidades no interior do estado de São Paulo, onde fundou um círculo Acli), nasceram estas memórias ítalo-brasileiras, que pertencem a uma história coletiva de emigração partida da Emilia-Romagna e que se dispersou em tantas regiões, em tantos micro-cosmos habitados pelas famílias cujas vidas são aqui contadas por meio de testemunhos diretos, muitos dos quais com desdobramentos poéticos. Não faltam os pontos de vista das novas gerações, para ligar o fio vermelho da memória na complexidade do presente, muitas vezes fadada ao esquecimento.

Da profundidade do tempo, estas estórias, hoje relatadas superficialmente por Zavatti, pertencem a todos nós e são resgatadas graças ao trabalho de pesquisa que cabe às tarefas da “Consulta degli Emiliano-romagnoli nel mondo” (Consulta dos emiliano-romanholos no mundo).

Não quero acrescentar nada mais, deixando a vocês a leitura de ‘Da Itália partimos’, título que faz referência ao primeiro verso de ‘Mérica Mérica’, antiga música de emigração.

Concluo relembrando apenas que, na minha função de presidente da Consulta, encontrei muitas comunidades emiliano-romanholas no exterior, e que esta de Salto e Itu se distingue pelo entusiasmo, pelo planejamento, pela capacidade de reformular as manifestações culturais que levaram à sua criação em território estrangeiro, graças ao presidente Amauri Chaves Arfelli e a todas as pessoas que colaboram com ele para manter vivas e fortes as origens emiliano-romanholas em comum”.

Como diziam nossos antepassados: Que belo!

Emília-Romanha – Wikipédia, a enciclopédia livre quinta-feira, ago 19 2010 

 

Emília-Romanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Emília-Romanha
Emilia-Romagna

Bandeira de Emília-RomanhaEmilia-Romagna

Área:
22.124 km²

População:
4.187.557 hab.

Densidade:
189 hab./km²

Províncias:
Bolonha, Ferrara, Forlì-Cesena, Modena, Parma, Piacenza, Ravenna, Reggio Emilia, Rimini

Capital:
Bolonha

Website:
www.regione.emilia-romagna.it

Localização de Emília-RomanhaEmilia-Romagna no mapa da Itália

A Emília-Romanha (em italiano Emilia-Romagna) é uma região situada no norte da Itália com quatro milhões de habitantes e 22 124 km², cuja capital é Bolonha.

Limita-se ao norte com o Vêneto e Lombardia, a oeste com o Piemonte e a Ligúria, ao sul com a Toscana e com a República de São Marinho. Esta região é composta da união de duas regiões históricas, a Emilia, que compreende as províncias de Piacenza, Parma, Reggio, Modena e parte da província de Bolonha, com a capital, e a Romanha, com as restantes províncias de Ravenna, Rimini, Forlì-Cesena e a parte oriental da província de Bolonha. A Romanha histórica compreende também territórios das Marcas e da Toscana.

Índice

Administração

Esta região é composta das seguintes províncias:

Demografia

Historicamente, a população desta região é bem distribuída, sendo notável a ausência de grandes regiões metropolitanas.

Comuna
População (2006 est.)

Bologna
374,425

Modena
180,638

Parma
177,069

Reggio Emilia
167,013

Ravenna
149,084

Rimini
138,060

Ferrara
131,907

Forlì
112,477

Piacenza
99,340

Cesena
93,857

Imola
66,340

Carpi
64,517

Faenza
54,749

Ver também

Ligações externas

Commons

O Wikimedia Commons possui multimedia sobre Emília-Romanha

Emília-Romanha – Wikipédia, a enciclopédia livre

Cavalgada da Lua Cheia neste sábado, dia 21 de agosto, na Rosário – Itu/SP terça-feira, ago 17 2010 

Local: Rosário – Itu

dia: 21 de agosto de 2010 a partir das 19h30

Saídas a cavalo: 20h (algumas vagas) 21h30 (lotada) e 23h

Valores:

Cavalgada e jantar com música ao vivo – R$ 70 por pessoa – bebidas à parte

Somente jantar com música ao vivo : R$ 40 – bebidas à parte

informações: (11) 9607-7483

informações, reservas e envio de mapa de acesso por este email.

Participe! Divulgue!

Saudações,

Ruraltur

www.rural.tur.br

www.ruralturturismo.blogspot.com

YouTube – BALÃO MAGICO – LINDO BALÃO AZUL – de ARNALDO REIS sexta-feira, ago 13 2010 

Ao procurar por Lindo balão azul, de Guilherme Arantes, encontrei esta pérola.

Acompanhe a exibição das imagens e do som: cante junto.

Ah, dentre outras sugestões, no YouTube, tem uma que é para karaokê.

Muito bom! Já dancei, em aniversário e em casamento, como se ninguém estivesse olhando, essa canção.

UAU!

Xô, quem quer pegar carona na cauda de nosso cometa! Vade retro!

Sorria Nº 15 está à venda na Droga Raia sexta-feira, ago 13 2010 

Como é bom colaborar com o GRAACC por meio da compra da revista Sorria para ser feliz, Editora Mol.

A de número 15 já está à venda nas filiais da Droga Raia: a minha já está comprada e, se não inteiramente lida, está à mão.

R$2,50 – valor que, descontados os impostos, é 100% revertido para o Sou fã de criança GRAACC.

Na compra da revista, ajudamos a combater o câncer infantil.

Tem prestação de contas das arrecadações e, importante,

O SONHO FICA REAL – As obras de ampliação do GRAACC começam em setembro. Sorria bancará metade da construção da primeira etapa.

Quer mais? Então compre a revista, agora!

Sorria Nº 15. Paixão | Revista Sorria*

São Luiz do Paraitinga: antes e depois da tragédia de 01/01/2010 segunda-feira, ago 9 2010 

As imagens de São Luiz do Paraitinga (antes e depois que o rio Paraitinga subiu dez metros, arrasando a cidade) podem ser vistas nesse anexo, em extensão “pps” do Power Point, postado em 17/04/2010.

Sete meses depois da tragédia, de acordo com a prefeita da cidade, São Luiz do Paraitinga ainda não está pronta para receber os turistas como gostaria, porém precisa desses turistas para movimentar a economia e continuar a recuperação de, acrescento do que li no texto, 425 construções dos séculos XVIII e XIX tomabadas pelo patrimônio histórico, para a recuperação ou a reconstrução de escolas, para a criação de uma biblioteca-modelo, para a recuperação dos acessos nas estradas e a implantação de um sistema de alerta de possíveis cheias na bacia do rio Paraitinga, para testemunhar [minha cinclusão] as 150 casas que serão levantadas, a toque de caixa, pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) para abrigar famílias desalojadas que, atualmente, são em número de 212, para ajudar a fiscalizar [minha conclusão] o financiamento para reforma dos imóveis privados tombados pelo Condephaat.

Essas informações – e muitas mais – se encontram no texto “À espera dos turistas”, Veja São Paulo, páginas 49 e 50, 11 de agosto de 2010.

Dentre as informações do texto, destaco, também, esta que me é tocante: “Ao meio-dia, soam as doze badaladas do sino da igreja matriz – ainda que sua torre não esteja mais lá. Trata-se de uma maneira de manter a identidade dos 11.000 habitantes do encantador município do Vale do Paraíba, a 187 quilômetros de São Paulo, famoso por seu Carnaval de marchinhas e por suas festas religiosas”.

Com fotos, o texto da Veja São Paulo, de autoria de Giovana Romani, destaca o altar e sino recuperados da igreja Matriz, além de descrever que “Diariamente, o canteiro de obras da igreja matriz, datada de 1850, fica aberto para visitação. A limpeza do terreno acaba de ser concluída e cerca de 400 peças foram retiradas dos escombros. Catalogados, os itens de valor histórico, a exemplo de sinos, relógios, prataria, forros pintados e altares, estão em fase de restauração. Tijolos, tábuas de maeira, pregos e algumas imagens ficam guardados em um barracão. Desde 23 de janeiro, 39 operários atuam ali: ‘Estamos concluindo a primeira etapa: agora começa a construção’, afirma o arquiteto Adriano Carvalho, da construtora Biapó, contratada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para o salvamento da matriz, da Capela das Mercês, de 1814, e de quinze imóveis particulares”.

Vejam as imagens de antes e depois da tragédia e concordem comigo que o texto da Veja São Paulo me trouxe imensa alegria.

SãoLuizdoParaitinga_antes e depois_Cidinha enviou.pps – Windows Live

Vidro do mar – Wikipédia, a enciclopédia livre terça-feira, ago 3 2010 

Recebi a explicação sobre “Vidro do mar” e o link para Youtube de Sensão.

Claro que pesquisei na Wikipédia e posto o link para essa jóia que inseri como “Pérolas”.

É poluição da humanidade (jogar garrafas ou cacos de vidro no mar), mas a natureza lidou com esse lixo e há coletores dele, além de pessoas bem informadas que até resgatam garrafas inteiras ou cacos de garrafas de quatro séculos atrás!

Vidro do mar – Wikipédia, a enciclopédia livre

Esse é do YouTube. Alguma dúvida?