clip_image001

Reformatei, em Power Point, extensão “pps”, “Os dez pecados dos brasileiros na visão de Agências de Propaganda”.

Como explico no primeiro slide, os recortes foram tirados de dois jornais, em 1987.

Primeiro, li essas propagandas combatendo os dez “pecados” no jornal O Estado de São Paulo.

Guardei as páginas.

No final de semana, minha irmã Maria Ignez (que já havia telefonado para mim, durante a semana, para avisar-me da publicação e comentou do encantamento dela com relação à publicação), trouxe o exemplar de Folha de São Paulo.

Guardei, também, e, no momento adequado, recortei as “propagandas”. Infelizmente, não guardei as páginas e a data (mês e dia).

Apenas usei esses recortes, a partir de 1992, na escola “Convenção de Itu”.

Lembro-me de, a caminho da escola, ter deixado uma cópia do que aborda os “pecados dos brasileiros no trânsito”, na Delegacia de Polícia (acho que Militar), nas mãos de um policial, para que, se quisessem, afixassem num mural.

Na escola “Convenção de Itu”, acredito ter apenas mostrado as cópias aos alunos, lido os textos, mostrado as ilustrações.

Em 1997, na escola “Pinheiro Júnior”, o livro didático de apoio, volume destinado a 7.ª série, Ensino Fundamental, abordou, num dos capítulos iniciais (ou no primeiro capítulo) essas ilustrações e um dos “pecados”.

Em 15/03/1997, tentei pôr em prática o que tinha guardado, com cópias para que os alunos, em 10 grupos, 7.ª série “D”, observassem as cópias dos recortes, lessem duas perguntas que havia nos versos das cópias dos dez diferentes “pecados” abordados e, em grupos, respondessem às questões.

A atividade foi um fracasso no meu modo de entender. Refiz as respostas às perguntas e, em 18/03/1997, mostrei aos alunos o que eu esperava deles.

Em 2003, ainda na escola “Pinheiro Júnior”, sem possibilidade de usar microcomputador em sala de aula e com o retroprojetor comprometido por “empréstimos” tanto à Oficina Pedagógica quanto a “palestrantes” que, de acordo com o que me disseram, ganhava dinheiro público para “palestrar” para os professores de escola pública – estou vendendo pelo preço que comprei a informação, ou seja, nada paguei por ela, nada cobro – preparei, novamente, a atividade, dentro do “Plano de Aula”, para os alunos do Ensino Médio.

Desta vez, pedi para copiar os recortes em folhas tamanho A3, de modo que ficaram como pôsteres na parede da sala de aula que eu ocupava.

Às vésperas do meu aniversário, num sábado, 15/03/2003, o Diário Oficial do Estado publicou a minha aposentadoria, a pedido.

Na segunda-feira, 17/03/2003, fui à escola, recolhi todo o meu material didático-pedagógico, devolvi tudo o que não me pertencia, passei todos os diários de classe, Planos de Aulas bimestrais para quem me substituísse, deixei tudo o que afixara nas paredes da sala de aula e, quem dera fazer como contam a respeito de Maria, a Louca, queria ter tirado o que calçava e dizer: “Deste lugar não quero levar nem a poeira nos sapatos” (referindo-me ao sistema educacional e a determinadas pessoas).

Infelizmente, o assediador que me prejudica há muitos e muitos anos, obrigou-me a voltar à escola (que eu não queria nem ver pela frente nem pelas costas), num ato sádico costumeiro, a retornar à escola para entregar “uma cópia que faltara ao processo de minha aposentadoria”. Balela pura! Pois se faltasse algum documento, a Secretaria de Educação não teria homologado minha aposentadoria a pedido, da qual tratei sozinha, sem pagar para terceiros que fizessem o serviço que era obrigação (hoje, com tudo absolutamente terceirizado, dificilmente esse serviço deva estar sendo feito por funcionários públicos) de funcionários públicos pagos para isso.

Como sugestão de atividade pedagógica, os dez pecados dos brasileiros, na visão de dez agências de propaganda, de 1987, é de uma riqueza sem par, porque além das imagens, dos textos, a discussão pode ser ecumênica (a visão de pecado nas diferentes crenças religiosas e na crença católica; quais são os dez pecados capitais, na visão católica; abordar outros, tais como os pecados veniais, a discussão desses “novos” pecados que foram abordados nas “propagandas” e um leque que se abre, envolvendo, portanto, a multidisciplinaridade ou temas transversais…)

Fiquei contente com a nova formatação dos recortes. Já havia tentado inserir esse assunto, em extensão “pps”, neste espaço, mas ficou tão pesado e só em extensão “ppt”, que o substituí por um sem os recortes.

O link para “Sugestão atividade pedagógica_Os dez pecados dos brasileiros_1997” é, na pasta “Público” deste espaço:

http://cid-a465ed4d8857cffb.skydrive.live.com/self.aspx/P%c3%bablico/Sugest%c3%a3o%20atividade%20pedag%c3%b3gica%7C_Os%20dez%20pecados%20dos%20brasileiros%7C_1987.pps

clip_image001[1]

Anúncios