Página Inicial da Biblioteca Digital Mundial terça-feira, abr 28 2009 

Recebi o link da prima Sensão. Optei por “Português” e já está em “Favoritos”.

Antes mesmo de visitar a Biblioteca Digital Mundial, estou recomendando o link.

Biblioteca Digital Mundial entra no ar hoje, 21.4.09,

4 anos depois de ser idealizada

    Imagine uma biblioteca que tenha, ao mesmo tempo, a Declaração de Independência dos Estados Unidos, mapas do Brasil do século XVIII, os primeiros filmes dos Irmãos Lumière e outros milhares de manuscritos, livros raros, fotos, registros fonográficos, desenhos…

    E, como se isso ainda não fosse suficiente, com apresentação nas seis línguas oficiais da ONU (inglês, francês, espanhol, árabe, chinês e russo) e ainda português.

    Pois ela pode ser acessada da sua casa. Anote o endereço: <www.worlddigitallibrary.org>.

    A ideia da Biblioteca Digital Mundial partiu de James H. Billington, bibliotecário do Congresso dos Estados Unidos, há quatro anos. O projeto foi encampado pela Unesco e, finalmente, será lançado hoje.

    O Brasil, a partir da Biblioteca Nacional, além de outras 32 instituições de cerca de 20 países (coloque aí lugares tão distantes e diferentes quando Uganda, Israel e Sérvia), participa do projeto.

    No site, além de poder procurar os documentos a partir dos países, o internauta também tem a chance de achá-los por data, período, tipo de item ou instituição.

Globo 21.4.09 – Megazine – Josy Fischberg 

Página Inicial da Biblioteca Digital Mundial

São Paulo em Imagens – 147 anos de fotos – segunda-feira, abr 20 2009 

O título da inserção é para chamar a atenção para o anexo, em pasta "Público" deste espaço, intitulado "Mercado da Cantareira".

Deslumbrante!

No anexo há a indicação para mais fotos de São Paulo, que conduz ao site do fotógrafo Gilberto Calixto Reis (também autor do "pps" Mercado da Cantareira).

"São Paulo em Imagens – 147 anos de fotos" 

Carregue o anexo e, após inserir o site em "Favoritos", visite-o com calma.

 

As garotas do calendário – “pin-up girls” terça-feira, abr 14 2009 

Convido-os a visitar a pasta "Público" deste espaço para abrir o anexo que inseri intitulado "As garotas do calendário".
Depois, sigam a recomendação da revista Veja, edição 2107, 08/04/2009, a respeito do DVD
Bettie Page – A rainha pin up
(The Notorious Bettie Page, Estados Unidos, 2005. Casablanca)
Essa recomendação está na página 136 da revista.

Lavagem cerebral – Superinteressante março 2009 terça-feira, abr 14 2009 

Disponibilizo essa leitura, em extensão “pdf”, na pasta “Público” deste espaço Sinhá, cadê “seu” Padre?

IMPERDÍVEL!

  

  

Comentários sobre o TCC Júlio César Soares a respeito do Projeto Fazenda Paraizo Itu/SP segunda-feira, abr 13 2009 

Gestão do Patrimônio Histórico: o caso da Fazenda Paraíso de Itu/SP

Recebi, em 03/04/2009, do Sr. Joaquim Emídio Nogueira Bicudo, com a autorização do autor do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), Júlio César Soares, uma cópia com 140 páginas de “Gestão do Patrimônio Histórico: o caso da Fazenda Paraíso de Itu/SP”.

À medida que lia o TCC do Júlio, senti necessidade de confirmar os dados sem incomodar o Sr. José Emídio.

Ao buscar pelo título, na Internet, encontrei a seguinte referência em virtude do nome do orientador do TCC, o Professor Reinaldo Dias = Júlio César Soares. Gestão do Patrimônio Histórico: o caso da Fazenda Paraíso de Itu/SP. 2003. 150 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Administração) – Universidade Paulista. Orientador: Reinaldo Dias.

Que ninguém estranhe as grafias “Paraíso” e “Paraizo”. No devido tempo, uma delas será oficializada.

Porque tenho interesse especial – acompanho, desde 1999, a busca incessante do proprietário da Fazenda Paraizo de parceria público/privada para o tombamento desse patrimônio histórico de Itu/SP (ver em pasta “Público”, deste espaço, o que formatei em Microsoft Power Point, com o título A história da Fazenda Paraíso e a preservação), para que essa Fazenda possa ser reutilizada como um monumento que se auto-sustente, após investimentos em sua recuperação e preservação e, principalmente, para que mantenha “acesa a chama da cultura brasileira com relação ao passado”– copiei e colei um trecho desse Trabalho de Conclusão de Curso de 2003:

6.4 Premissas para o Projeto: “Fazenda Paraíso

O presente projeto visa a identificar as potencialidades da Fazenda Paraíso, buscando questionar seu valor histórico e cultural, dado ao seu patrimônio histórico e arquitetônico, a sua capacidade em gerar recursos para sua auto sustentabilidade, decorrentes de uma nova visão que é capaz de integrar princípios organizacionais às atividades socioculturais.

Deve definir ações e medidas, a fim de garantir a legitimidade de todas as ações futuras por quando do plano de requalificação de todo o seu conjunto.

O Projeto deve servir para pôr em questão o debate sobre os problemas das outras fazendas da região que passam por situações similares à situação da Fazenda Paraíso, e sobretudo, servir de ponto de partida para a recuperação de todo conjunto histórico composto pelas fazendas da região de Itu.

6.5 Projeto: Fazenda Paraíso

O patrimônio cultural de cada região brasileira deve ser

mobilizado como ponto de partida para as

criações do presente.

Esse patrimônio é fundamental para a incorporação das

atividades criadoras – intelectuais sensíveis –

na vida dos dias atuais.

Serviços culturais desse tipo, destinados

ao uso da população local, têm também interesse

econômico, pois são a base para as

indústrias de cultura e turismo.

(Reis, 2002)

1 – A consciência de seu proprietário em viabilizar a sobrevivência, preservação e utilização de um bem histórico de características culturais indiscutíveis para usufruto da comunidade;

2 – A criação de um Centro Cultural na Fazenda Paraíso – Parceria com a iniciativa pública/privada, com entidades preservacionistas do patrimônio histórico, universidades da região e outros seguimentos da sociedade;

3 – Restauração da casa sede e dos edifícios de seu entorno, através de uma ampla reforma nas edificações, preservando, no entanto, todas as características históricas e ecológicas do local, sem, contudo, implantar nenhuma construção nova;

4 – Criação de espaços culturais nas edificações, tais como:

Salas de concertos;

Salas de teatro;

Oficinas;

Galeria de artes;

Galeria de Eventos;

Restaurante;

Cafeteria;

Livraria;

Postos de serviços;

5 – Propiciar e viabilizar cursos de conteúdo cultural para diversas entidades e para a própria comunidade, tais como:

Apresentações de dança;

Exposições diversas (artes, artesanato, etc.);

Espetáculos teatrais e musicais;

Eventos das mais diversas áreas culturais;

Prestação de serviços e gratuidade de oficinas e eventos para garantir a presença deste novo público com o propósito de atender e formar um público participativo e atento à arte e à cultura;

6 – Retorno.

Propiciar à cidade [Itu/SP] a revitalização de um patrimônio histórico arquitetônico que faz parte da sua formação étnica, social e política, além de criar um novo espaço de interesse público e de difundir projetos sociais;

Divulgar o nome dos parceiros no Projeto visando a aproximação de seus produtos aos consumidores, através das ações de marketing cultural e social, além de marcar sua participação na história cultural de toda a região, haja vista, ao aliar seu nome a um Projeto de peso deverá atender toda a 4ª região administrativa de Sorocaba, uma região cheia de virtudes, composta por bons setores agrícolas, onde somente a região de Itu correspondente a 59.220,9 HA, beleza de paisagem para o lazer e o turismo, e mais:

1 Milhão de habitantes;

11 Municípios;

US$ 7 bilhões (1998)[1];

7 – Resgate da História.

O Projeto visa a alavancar o programa turístico da cidade através da recuperação do patrimônio construído, seus bens móveis e imóveis e de seu significado simbólico;

Revitalizar a edificação que, hoje, não tem representatividade alguma, pois pelo seu estado de conservação não propicia benefício algum para a comunidade;

Além de seu valor histórico cultural, a recuperação da Fazenda Paraíso trará extraordinários benefícios sociais, através de Oficinas Culturais, formação de crianças e adolescentes e pessoas que, hoje, não têm acesso à cultura;

Criação de um pólo de difusão cultural destinado a atender várias camadas da população;

Transformar a região em um novo pólo cultural;

8 – A consciencialização pública para a necessidade da salvaguarda e valorização do Patrimônio Cultural e estabelecer a retomada da recuperação da identidade da região através do fortalecimento de um Projeto que oriente suas bases para a justiça social e para a conquista definitiva do direito à cidadania.

Conclusão

É lamentável constatar que guerras têm destruído o Patrimônio da Humanidade, tal como está ocorrendo neste momento no Iraque, “berço da civilização”. Também as 1ª e 2ª Grandes Guerras Mundiais, no recente século passado, causaram muitos danos irreversíveis ao patrimônio. Agora, em abril último, o incêndio que solapou um casarão do século XVIII, no centro histórico de Ouro Preto, pôs em risco todo um conjunto histórico de valor inestimável, no mais explícito exemplo da irresponsabilidade das autoridades competentes brasileiras em relação ao seu Patrimônio Histórico.

É lastimável que interesses políticos individualistas venham sobrepujar os interesses coletivos da sociedade no que tange à preservação do Patrimônio Histórico e da Memória de uma cidade, de uma região, muitas vezes de um estado inteiro. Para um país que está sob a égide de um “novo governo” e que aponta para um caminho cheio de perspectivas para o Brasil, cabe buscar um novo rumo e pôr em evidência a importância da utilização mais intensa de nosso Patrimônio de Arte, História e Memória para que haja a integração social das populações dessas áreas e suas conseqüências indiretas para as industrias do turismo e da cultura.

Enfim, é triste constatar que por falta de políticas administrativas originais e livres de burocracia poderemos perder um patrimônio da proporção histórica e cultural como a Fazenda Paraíso.

Mediante o exposto, o que se espera das medidas propostas é que não se perca mais um bem patrimonial pelo descaso das autoridades e da sociedade, que nos conta através do silêncio dos seus telhados, paredes, porta e janelas, um pouco dos esforços dos nossos antepassados, num movimento complexo chamado de história, resultado de boa parte daquilo que somos e representamos como seres humanos, povo e sociedade.


[1] HISTÓRIA de Sorocaba. Disponível em: <http://sorocaba.com.br/história/introdução/&gt;. Acesso em: 12/03/02.

Conheça o mundo num clicar quarta-feira, abr 8 2009 

Mensagem recebida de JENBicudo em 03/04/2009.

Só hoje estou dividindo com vocês.

Cada nome é um ‘link’.


Escolha, carregue, e viaje pelo mundo, tudo em português,
Vale a pena verificar

Cidades da Europa

Innsbruck <http://www.imagensviagens.com/innsbruck.htm>
Toulouse <
http://www.imagensviagens.com/toulouse.htm>
Assis <
http://www.imagensviagens.com/assissi.htm>
York <
http://www.imagensviagens.com/york.htm>
Moscou <
http://www.imagensviagens.com/moscou.htm>
Salzburgh   <
http://www.imagensviagens.com/salzburgh.htm>
Helsinque <http://www.imagensviagens.com/helsinque.htm>
Munique <
http://www.imagensviagens.com/munique.htm>
Cardiff <
http://www.imagensviagens.com/cardiff.htm>
Reims <
http://www.imagensviagens.com/reims.htm>
Bruxelas <
http://www.imagensviagens.com/bruxelas.htm>
Oslo <
http://www.imagensviagens.com/oslo.htm>
Brugge <http://www.imagensviagens.com/brugge.htm>
São Petersburgo <
http://www.imagensviagens.com/saopetersburgo.htm>
Blackpool <
http://www.imagensviagens.com/blackpool.htm>
Talin <
http://www.imagensviagens.com/talin.htm>
Luxemburgo <http://www.imagensviagens.com/luxemburgo.htm>
Roma <
http://www.imagensviagens.com/roma.htm>
Heidelberg <
http://www.imagensviagens.com/heidelberg.htm>
Chamonix <
http://www.imagensviagens.com/chamonix.htm>
Varsóvia <http://www.imagensviagens.com/varsovia.htm>
Florença <
http://www.imagensviagens.com/firenze.htm>
Bath <
http://www.imagensviagens.com/bath.htm>
Bratislava <
http://www.imagensviagens.com/bratislava.htm>
Istambul <http://www.imagensviagens.com/istambul.htm>
Amsterdam <
http://www.imagensviagens.com/amsterdam.htm>
Rouen <
http://www.imagensviagens.com/rouen.htm>
Oxford <
http://www.imagensviagens.com/oxford.htm>
Cambridge <http://www.imagensviagens.com/cambridge.htm>
Brighton <
http://www.imagensviagens.com/brighton.htm>
Berlin <
http://www.imagensviagens.com/berlin.htm>
Madri <
http://www.imagensviagens.com/madrid.htm>
Viena <http://www.imagensviagens.com/viena.htm>
Köln <
http://www.imagensviagens.com/koln.htm>
Portsmouth <
http://www.imagensviagens.com/portsmouth.htm>
Estocolmo <
http://www.imagensviagens.com/estocolmo.htm>
Manchester <http://www.imagensviagens.com/manchester.htm>
Londres <
http://www.imagensviagens.com/londres.htm>
Paris <
http://www.imagensviagens.com/paris.htm>
Atenas <
http://www.imagensviagens.com/atenas.htm>
Praga <http://www.imagensviagens.com/praga.htm>
Budapeste <
http://www.imagensviagens.com/budapeste.htm>
Veneza <
http://www.imagensviagens.com/veneza.htm>
Winchester <
http://www.imagensviagens.com/winchester.htm>
Chester <http://www.imagensviagens.com/chester.htm>
Liverpool <
http://www.imagensviagens.com/liverpool.htm>
Liechtenstein <
http://www.imagensviagens.com/liechtenstein.htm>
Düsseldorf <
http://www.imagensviagens.com/dusseldorf.htm>
Inverness <http://www.imagensviagens.com/inverness.htm>
Saint Malo   <
http://www.imagensviagens.com/stmalo.htm>
Frankfurt <
http://www.imagensviagens.com/frankfurt.htm>
Edinburgh <
http://www.imagensviagens.com/edinburgh.htm>
Glasgow <http://www.imagensviagens.com/glasgow.htm>
Copenhagen <
http://www.imagensviagens.com/copenhagen.htm>
Zurich <
http://www.imagensviagens.com/zurich.htm>
Lisboa <
http://www.imagensviagens.com/lisboa.htm>
Grenoble <
http://www.imagensviagens.com/grenoble.htm>

Cidades das Américas
Saint Louis <http://www.viagensimagens.com/stlouis.htm>
Dallas <
http://www.viagensimagens.com/dallas.htm>
Allbuquerque <
http://www.viagensimagens.com/albuquerque.htm>
Montreal <
http://www.viagensimagens.com/montreal.htm>
San Diego <
http://www.viagensimagens.com/sandiego.htm>
Quebec <
http://www.viagensimagens.com/quebec.htm>
Phoenix <
http://www.viagensimagens.com/phoenix.htm>
Atlanta <
http://www.viagensimagens.com/atlanta.htm>
San Francisco <
http://www.viagensimagens.com/sanfran.htm>
Orlando <
http://www.viagensimagens.com/orlando.htm>
New Orleans <
http://www.viagensimagens.com/neworleans.htm>
Miami <
http://www.viagensimagens.com/miami.htm>
Bariloche <
http://www.viagensimagens.com/bariloche.htm>
Toronto <
http://www.viagensimagens.com/toronto.htm>
Houston <
http://www.viagensimagens.com/houston.htm>
Chicago <
http://www.viagensimagens.com/chicago.htm>
Las Vegas <
http://www.viagensimagens.com/lasvegas.htm>
Los Angeles <
http://www.viagensimagens.com/lax.htm>
Washington DC <
http://www.viagensimagens.com/washington.htm>
Buenos Aires <
http://www.viagensimagens.com/buenosaires.htm>
Vancouver <
http://www.viagensimagens.com/vancouver.htm>
Portland <
http://www.viagensimagens.com/portland.htm>
Seattle <
http://www.viagensimagens.com/seattle.htm>
Victoria <
http://www.viagensimagens.com/victoria_ca.htm>
Salt Lake City <
http://www.viagensimagens.com/saltlake.htm>
New York City <
http://www.viagensimagens.com/new_york_city.htm>
Kansas City <
http://www.viagensimagens.com/kansascity.htm>
Ottawa <
http://www.viagensimagens.com/ottawa.htm>

Castelos e Palácios

Akershus <http://www.viagensimagens.com/cast_akershus.htm>
Amboise <
http://www.viagensimagens.com/cast_amboise.htm>
Angers <
http://www.viagensimagens.com/cast_angers.htm>
Arundel <
http://www.viagensimagens.com/cast_arundel.htm>
Azay le Rideau <
http://www.viagensimagens.com/cast_azaylerideau.htm>
Bamburgh <
http://www.viagensimagens.com/cast_bamburgh.htm>
Beaumaris <
http://www.viagensimagens.com/cast_beaumaris.htm>
Blackness <
http://www.viagensimagens.com/cast_blackness.htm>
Blenheim <
http://www.viagensimagens.com/cast_blenheim.htm>
Blois <
http://www.viagensimagens.com/cast_blois.htm>
Bodiam <
http://www.viagensimagens.com/cast_bodiam.htm>
Budavari <
http://www.viagensimagens.com/cast_budavari.htm>
Caernarfon <
http://www.viagensimagens.com/cast_caernarfon.htm>
Caerphilly <
http://www.viagensimagens.com/cast_caerphilly.htm>
Cardiff <
http://www.viagensimagens.com/cast_cardiff.htm>
Carlisle <
http://www.viagensimagens.com/cast_carlisle.htm>
Chambord <
http://www.viagensimagens.com/cast_chambord.htm>
Charlottenburg <
http://www.viagensimagens.com/cast_charlettenburgh.htm>
Chantilly <
http://www.viagensimagens.com/cast_chantilly.htm>
Chenonceau <
http://www.viagensimagens.com/cast_chenonceau.htm>
Chepstow <
http://www.viagensimagens.com/cast_chepstow.htm>
Cliffords <
http://www.viagensimagens.com/cast_clifffords.htm>
Conciergerie <
http://www.viagensimagens.com/cast_conciergerie.htm>
Conwy <
http://www.viagensimagens.com/cast_conwy.htm>
Criccieth <
http://www.viagensimagens.com/cast_criccieth.htm>
Doune <
http://www.viagensimagens.com/cast_doune.htm>
Dover <
http://www.viagensimagens.com/cast_dover.htm>
Edinburgh <
http://www.viagensimagens.com/cast_edinburgh.htm>
Ewloe <
http://www.viagensimagens.com/cast_ewloe.htm>
Fontainebleau<
http://www.viagensimagens.com/cast_fontainebleu.htm>

Frederiksborg<http://www.viagensimagens.com/cast_frederiksborg.htm>
Glamis <
http://www.viagensimagens.com/cast_glamis.htm>
Hampt Court <
http://www.viagensimagens.com/cast_hamptoncourt.htm>
Harlech <
http://www.viagensimagens.com/cast_harlech.htm>
Hatfield <
http://www.viagensimagens.com/cast_hatfieldhouse.htm>
Heidelberg <
http://www.viagensimagens.com/cast_heidelberg.htm>
Hever <
http://www.viagensimagens.com/cast_hever.htm>
Hohenschwagau <
http://www.viagensimagens.com/cast_hohenschwangau.htm>
Langeais <
http://www.viagensimagens.com/cast_langeais.htm>
Leeds <
http://www.viagensimagens.com/cast_leeds.htm>
Linlithgow <
http://www.viagensimagens.com/cast_linlithgow.htm>
London Tower <
http://www.viagensimagens.com/cast_londontower.htm>
Neuschwanstein <
http://www.viagensimagens.com/cast_neuschwanstein.htm>
Newcastle <
http://www.viagensimagens.com/cast_newcastle.htm>
Norwich <
http://www.viagensimagens.com/cast_norwich.htm>
Nottingham <
http://www.viagensimagens.com/cast_nottingham.htm>
Nymphenburg <
http://www.viagensimagens.com/cast_nymphenburg.htm>
Pena <
http://www.viagensimagens.com/cast_pena.htm>
Penshurst <
http://www.viagensimagens.com/cast_penshurst.htm>
Pierrefonds <
http://www.viagensimagens.com/cast_pierrefonds.htm>
Prazsky <
http://www.viagensimagens.com/cast_praga.htm>
São Jorge <
http://www.viagensimagens.com/cast_saojorge.htm>
Schonbrunn <
http://www.viagensimagens.com/cast_schonbrunn.htm>
Scone <
http://www.viagensimagens.com/cast_scone.htm>
Southsea <
http://www.viagensimagens.com/cast_southsea.htm>
Stirling <
http://www.viagensimagens.com/cast_stirling.htm>
Tonbridge <
http://www.viagensimagens.com/cast_tonbridge.htm>
Urquhart <
http://www.viagensimagens.com/cast_urquhart.htm>
Versalhes <
http://www.viagensimagens.com/cast_versalhes.htm>
Villandry <
http://www.viagensimagens.com/cast_villandry.htm>
Vincennes <
http://www.viagensimagens.com/cast_vincennes.htm>
Warwick <
http://www.viagensimagens.com/cast_warwick.htm>
Wilanow <
http://www.viagensimagens.com/cast_wilanow.htm>
Windsor <
http://www.viagensimagens.com/cast_windsor.htm>

Lugares especiais

Monument Valley <http://www.imagensviagens.com/esp_monument.htm>
Ilhas  Gregas <
http://www.imagensviagens.com/esp_ilhasgregas.htm>
Niagara  Falls <
http://www.imagensviagens.com/esp_niagarafalls.htm>
Carcassone <
http://www.imagensviagens.com/esp_carcasso.htm>
Route 66 <
http://www.imagensviagens.com/esp_route66.htm>
Petrified Forest <
http://www.imagensviagens.com/esp_petforest.htm>
Sequoia National Park <
http://www.imagensviagens.com/esp_sequoia.htm>
Loch Ness <
http://www.imagensviagens.com/esp_lochness.htm>

Sobre preservação, conservação de Patrimônio Público – 1 quarta-feira, abr 8 2009 

Porque não sou competente e habilitada para tratar de preservação, de conservação de Patrimônio Público, insiro um trecho de um Trabalho de Conclusão de Curso que estou lendo – e com esse TCC estou aprendendo muito – para poder, depois, elogiar ou criticar ações do Estado nesse sentido.

Trecho destacado do TCC Júlio César Soares. Gestão do Patrimônio Histórico: o caso da Fazenda Paraíso de Itu/SP. 2003. 150 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Administração) – Universidade Paulista. Orientador: Reinaldo Dias

2.1.6 Normas internacionais

Estão aqui reunidos os principais documentos, recomendações e cartas conclusivas das reuniões relativas à proteção do patrimônio cultural, ocorridas em diversas épocas e partes do mundo.

Os órgãos brasileiros em relação às ações de proteção ao patrimônio cultural realizadas pelos órgãos federais, estaduais e municipais, são fundamentadas em diversas conferências internacionais sobre o tema. De acordo com a “Recomendação relativa à salvaguarda dos conjuntos históricos e sua função na vida contemporânea, documento redigido na 19º Conferência Geral da Unesco, em Nairobi, 1976 – Carta de Nairobi – os conjuntos históricos são considerados patrimônio universal insubstituível, e sua "salvaguarda e integração na vida coletiva de nossa época deveriam ser uma obrigação para os governos e para os cidadãos em cujo território se encontram[1]”.

Esse documento alerta para o fato de, sob pretexto de expansão ou modernização, estarem ocorrendo "destruições que ignoram o que destroem e reconstruções irracionais e inadequadas[2]. Além disso, critica os perigos da uniformização e despersonalização do meio ambiente urbano, argumentando que a variedade é necessária para responder à diversidade da sociedade. Os conjuntos históricos são considerados testemunhos vivos da riqueza cultural, religiosa e social da humanidade. Sua destruição significa, portanto, o empobrecimento da cultura humana, o desaparecimento das referências simbólicas faz com que as pessoas percam sua sensibilidade histórica.

A Carta internacional para a salvaguarda das cidades históricas, redigida pelo Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS), em Washington, 1986 – Carta de Washington – trouxe um conceito importante para a consciência da defesa do patrimônio cultural. De acordo com a carta, não há sentido em determinar que um ou outro município seja considerado uma "cidade histórica“, pois todas as cidades são históricas. O próprio conjunto urbano é visto como documento histórico. Nessa perspectiva, a carta critica a destruição da cidadedocumento devido a um tipo de urbanização, nascido na era industrial, que tem provocado perdas irreversíveis de caráter cultural, social e mesmo econômico. O documento sugere, entre outras medidas, a conservação e restauração dos conjuntos históricos, adaptando-os ao desenvolvimento coerente com a cidade.

Com intuito de permitir uma leitura da evolução do pensamento e da ação preservacionista através dos tempos e do seu rebatimento nas tarefas contemporâneas, possibilitando, assim uma avaliação do que foi ou não assimilado e transposto para nossa realidade, as normas foram dispostas em ordem cronológica: Cartas, Compromissos, Convenções, Declarações, Recomendações e Resoluções (anexo 3).


[1] UNESCO. Disponível em: <http://www.unesco.org.br&gt;. Acesso em: 14/09/02.

[2] Idem.

Saber Cultural quarta-feira, abr 1 2009 

Link recebido da prima Melinha.

Tem pintores, esculturas, pinacoteca, especiais, obras célebres, slides, museus, bibliotecas, Arte Viva Brasil, Arte Bazar, Músicas…

Já incluí em “Favoritos”, mas quis recomendar.

Obrigada, prima Melinha.

Clique em:

Saber Cultural

Link para o acervo digital de 40 anos da Revista Veja quarta-feira, abr 1 2009 

Recebi esse link, mais recentemente, do meu irmão Agenor Júnior.

Já havia recebido esse mesmo link de outras pessoas, inclusive da própria Editora Abril, pois sou assinante de publicações dessa Editora.

Resolvi postar a mensagem de meu irmão, com o link para acessar o acervo digital de 40 anos da “Veja”, como forma de agradecimento pela solução dada a um problema que foi resolvido pela funcionária da Editora que tem o mesmo nome que eu: Maria Lúcia.

Ao entrar em contato com ela e ter o problema resolvido, pude dispensar reclamar no meu espaço por algo que foi solucionado diretamente pela Editora Abril.

Aí vai a mensagem com o link:

Estou enviando para vocês, um *Link* de acesso à todas as
revistas *Veja*, editadas pela Abril nesses últimos 40 anos. Da capa à
contra-capa, incluindo todas as páginas.
É um trabalho impressionante e creio que servirá como
fonte de consulta e garimpagem de dados para efetivação de eventuais
trabalhos de pesquisa.
Todas as edições de VEJA poderão ser consultadas na
íntegra na web. A revista VEJA abre todo o seu acervo de 40 anos de
existência na internet.
 
Todas as edições poderão ser consultadas na íntegra em
formato digital no  endereço

http://veja.abril.com.br/acervodigital/
 
A revista liberou o acervo em comemoração ao seu
aniversário de 40 anos. A primeira edição de VEJA foi publicada em 11 de setembro
de 1968.
 
O sistema de navegação é similar ao da revista em papel:
o usuário vai folheando as páginas digitais com os cliques do mouse.
 
O acervo apresenta as edições em ordem cronológica,
além de contar com um sistema de buscas, que permite cruzar informações e
realizar filtros por período e editorias.
Também é possível acessar um conjunto de pesquisas
previamente elaborado pela redação do site da revista, com temas da atualidade
e fatos históricos.
 
Com investimento de R$ 3 milhões, o projeto é resultado
de uma parceria entre a Editora Abril e a Digital Pages e levou 12 meses
para ficar pronto.
Mais de 2 mil edições impressas foram digitalizadas por
uma equipe de 30 pessoas. O banco Bradesco patrocinou a iniciativa.

Respeitar a opinião dos outros – enviado por JENBICUDO quarta-feira, abr 1 2009 

Não pretendo reenviar esta mensagem a ninguém, além de postá-la neste espaço.

Usualmente, os ofendidos fazem fila e perco um tempo enorme, uma energia que poderia ser utilizada para a solução de problemas para justificar por que a enviei a determinados correspondentes.

Amei!

Grata, Sr. Joaquim Emídio.

Você  diz que é um sapo e eu juro que é um cavalo!

[Imagens na pasta "Público" deste espaço]

Lição:

Este desenho nos ensina claramente que devemos sempre respeitar as outras opiniões.

É necessário esperar e ouvir atentamente os outros porque eles também têm o seu ponto de vista. 

Respeitar a opinião dos outros é olharmos para a mesma verdade e sabermos que esta poderá ser vista de forma bem diferente por cada um; 

E assim, com toda a certeza, deixar de cometer injustiça com as precipitações.

O charme do desenho  e sua lição enigmática consiste no fato de que, "na história nada muda e mesmo assim, tudo é completamente diferente".

(Aldous Huxley)

Comentário adicionado em  12/05/2009: 

Recebi, posteriormente, a mesma mensagem que recebera do Sr. JENBicudo e, desta vez, a remetente foi a prima Maria Cecília. Na mensagem da prima Cecília,  no final dela, separado por linha, está escrito: “Maria Lydia Fioravanti. Bacharelado em Ciências de Computação 2007. ICMC – USP – São Carlos”. Se a mensagem original foi formatada por Maria Lydia Fioravanti, parabéns.

 

 

 

31 de março de 1964, consequências – Publicado em 1999 por Folha de São Paulo quarta-feira, abr 1 2009 

 

31 de março de 1964, consequências – publicação de Folha de São Paulo / 1999

O texto abaixo foi enviado por minha prima Maria Adelaide como mensagem eletrônica.

Desde o momento em que comecei a utilizar a Internet, Maria Adelaide tem sido uma das pessoas que mais contribuíram para meu desenvolvimento intelectual cibernético e, consequentemente, para meu aprimoramento como Educadora.

Outras pessoas merecem meu respeito e agradeço-as a cada mensagem eletrônica que enviam. Portanto, não quero que ninguém se magoe com a citação à minha prima Maria Adelaide.

31 de março de 1964

clip_image001
O general Olímpio Mourão Filho (1900-72), chefe da 4ª Região Militar em Minas Gerais, divulga uma proclamação contra João Goulart (1918-1976) e a "ameaça comunista" que ele representava. Precipitando a marcha de suas tropas em direção ao Rio de Janeiro, recebe a adesão da maioria dos comandos militares.
Da conspiração contra Goulart, participaram setores civis, partidos como PSD e UDN e governadores influentes, como Carlos Lacerda (1914-1977), da Guanabara, e Adhemar de Barros (1901-1969), de São Paulo. O governo cai em 48 horas.
Em 11 de abril, o Congresso expurgado elege presidente o general Humberto de Castelo Branco (1900-1967). Após a deposição de Goulart, entra em cena uma legislação baseada em atos institucionais. O objetivo é neutralizar lideranças e organizações sociais e políticas da esquerda em geral. Foram quatro atos até a posse do general Costa e Silva (1902-1969), em 1967, quando entra em vigor nova Constituição. O conflito político cresce.
clip_image002
Em 1968, começam a pipocar manifestações e greves reprimidas pela polícia. Em setembro, o deputado Márcio Moreira Alves propõe o repúdio popular ao militares e o boicote às comemorações da Semana da Pátria. Os militares pedem licença ao Congresso para processá-lo, mas têm o pedido negado, fornecendo ao regime o pretexto para implementar medidas de exceção.
Em 13 de dezembro, o governo anuncia a edição do AI-5, que fecha o Congresso por tempo indeterminado (só voltaria a funcionar em 22 de outubro de 1969) e dá amplos poderes ao chefe do Estado — intervir no Legislativo, Estados e municípios, cassar mandatos e suspender direitos, decretar confisco de bens e suspender a garantia de habeas corpus. Seguem-se prisões em massa de opositores e dezenas de cassações. Nos meses seguintes, Costa e Silva e a Junta Militar que o sucedeu editam outros 12 atos institucionais, 59 atos complementares e 8 emendas constitucionais.
clip_image003
Ao assumir o governo, em outubro de 1969, o general Emílio Garrastazu Médici (1905-1985) dispunha de instrumentos que permitiam ao governo usar a força para solucionar conflitos políticos. O país mergulha nos anos de chumbo. Desaparecem em consequência da repressão política 144 pessoas; 240, no mínimo, foram mortas pelo regime; 98 foram mortas pelos grupos de esquerda.
O AI-5 só seria revogado em 13 de outubro de 1978.
O texto acima foi publicado na Folha de S.Paulo no dia 30 de dezembro de 1999