Matéria – “O país não pode mais contar com o BC; governo deve investir pesado no gasto social”. terça-feira, dez 30 2008 

Entrevista de Maria da Conceição Tavares para “Carta Maior”.

Imperdível!

Matéria – “O país não pode mais contar com o BC; governo deve investir pesado no gasto social".

Patos, pavões e marketing pessoal, de Max Gehringer sexta-feira, dez 19 2008 

Recebi o texto por correio eletrônico de uma amiga.

Fiquei encantada com o texto e procurei o original.

Encontrei-o já ilustrado, do exato modo como eu gostaria de tê-lo ilustrado.

Retirei a ilustração do pato, em 31/05/2011, porque a do pavão já não estava mais visível.

 

Surrupiei o trabalho, mas cito a fonte, no final, exatamente do modo como está publicado no blog.

Confirmo a fonte: http://estou-sem.blogspot.com/2008/02/patos-e-paves-soma-do-bom-trabalho-com.html

Observar que os “pavões” acreditam que não percebemos que nos usam para se autopromover. Xô, piolhentos!

25 February 2008

Patos e pavões – A soma do bom trabalho com a boa imagem é o marketing pessoal – by Max Gehringer

Mais uma transcrição dos comentários do Max Gehringer para CBN (disponível via podcast), de 25/02/2008.

Em homenagem a todos que ficam se lamentando que não são reconhecidos, que não têm networking, etc (como eu):

Clássicos do Mundo Corporativo: A soma do bom trabalho com a boa imagem é o marketing pessoal

O pato é uma ave que sabe andar, voar e nadar, mas não é um modelo em nenhuma das 3 coisas. O andar do pato é desajeitado. O pato nada devagar, e voa muito mal.
Muitos funcionários sabem que não são patos. E têm a certeza, de que não nasceram para pato. Mas são tratados pelos chefes como se fossem patos: lentos e incompetentes. Qual é o remédio para escapar da síndrome do pato? É começar entendendo a síndrome do pavão.
O pavão anda mais devagar que o pato, e quem é que já viu um pavão nadando ou voando? Mas, quando alguém tem uma máquina fotográfica, e vê um pato e um pavão, vai sempre fotografar o pavão. Embora seja menos competente, o pavão aparece mais, porque sabe se pavonear, ou seja, o pavão tem o que o pato não tem: marketing pessoal.

É claro que o pavão não tem a mínima idéia do que seja marketing pessoal. O pavão é uma obra da natureza, e não de seus próprios talentos. Já o funcionário tem essa opção. Ele precisa aprender a se promover. O termo auto-promoção tanto pode significar querer aparecer de graça, às custas dos outros, o que é reprovável, ou divulgar de maneira eficaz o próprio trabalho, o que é recomendável.
O bom marketing, seja ele de um produto ou de um funcionário, está assentado sobre 3 pilares:
Primeiro, é preciso que o maior número possível de pessoas saiba o que eu faço.
Segundo, é preciso que essas pessoas se convençam dos benefícios daquilo que eu faço.
E terceiro, se essas pessoas estiverem convencidas, elas divulgarão o que eu faço de bom.
Todas as grandes marcas que conhecemos fizeram e fazem isso. A síndrome do pato é o trabalho sem imagem. A síndrome do pavão é a imagem sem trabalho. A soma do bom trabalho com a boa imagem é o marketing pessoal.
Max Gehringer, para CBN.

Fonte: http://estou-sem.blogspot.com/2008/02/patos-e-paves-soma-do-bom-trabalho-com.html

Como escapar do crime organizado – Manual – Superinteressante 259, dezembro/2008 sexta-feira, dez 19 2008 

“Manual” é uma seção, na última página da revista Superinteressante, que traz instruções usualmente hilárias e delirantes (com relação a situações em que eu jamais me encontraria na vida), mas que contém instruções que seriam úteis no caso de a “encrenca” ser real.

Neste mês de dezembro de 2008, por incrível que pareça, encontrei um Manual que expressa advertências reais àqueles que denomino “lacaios do crime organizado”, “suínos capados” (os que são cevados e abatidos no momento em que não têm mais serventia). Como sempre, o que perco tanto tempo para dizer a ponto de não me fazer entender foi exposto de modo competente.

Sou muito leiga para lidar com os recursos tecnológicos (by the way, jamais me gabei de ser “expert” em Informática, como os piolhentos hackers e crackers afirmam e pensam que sou; difamam, caluniam e injuriam quem não faz parte da quadrilha deles), portanto, redigitarei o texto que não poderá ser lido a não ser que a ilustração possa ser ampliada para uma leitura confortável. Sou deficiente visual, daquela que precisa de óculos até para dormir, senão não enxerga o sonho. Preocupo-me, portanto, com a visualização de outras pessoas.

Outra afirmação: sei fazer piada de mim mesma, mas não admito que assediadores (ler psicopatas) me usem para suas piadas de impotentes sexuais e intelectuais.

Como escapar do crime organizado

Se a máfia ou o chefe do tráfico estiverem atrás de você, siga as nossas dicas para não virar presunto.

PLANO A: NÃO SE ENVOLVA COM ELES

  • Não deva favores. Especialmente se oferecem algo muito generoso. O crime organizado está onde está o dinheiro.
  • Respeite a mulher do próximo. Não paquere nem faça gracinhas com esposa de bandido. Delegados que tratam as mulheres dos mafiosos com respeito também são respeitados pelo crime organizado.
  • Se você pretende ser advogado, nunca aceite que um desconhecido banque seus estudos. Você pode ter um emprego para toda a vida, do qual não conseguirá se livrar.

   PLANO B: CONHEÇA AS REGRAS DO JOGO

  • Você pode ser a pessoa mais bacana do mundo, mas só a sua palavra vai valer. Organizações criminosas não trabalham com acordos escritos. É tudo verbal ou gestual: o “ok” para matar pode ser o sinal negativo com o dedo.
  • Não adianta pedir pra sair. Se quiser uma dispensa, tenha certeza: você vai tombar na seqüência.
  • Você dificilmente vai conseguir se livrar do crime, mas também não piore sua situação. Se sua fita é com o PCC, não procure os cariocas do Comando Vermelho – pode ser fatal.

PLANO C: DESAPAREÇA

  • Não ande com identificações, como crachás ou adesivos, e evite a rotina. Almoçar todo dia no mesmo lugar ou visitar religiosamente a sogra pode virar uma aventura. Trágica.
  • Mude de casa, de cidade, de estado. Faça uma plástica. Se nada disso for possível, feche as cortinas da sala e coloque insufilme no carro.

PLANO D: APELE PARA A MÃE

  • Implore para a mãe de seu algoz. Elas são tão respeitadas que um secretário de Estado, em São Paulo, já caiu por não permitir que a mãe de um chefe do tráfico visitasse o filho na prisão.

PLANO Z: DIGA ADEUS

  • Avise a sua família, porque pode ser tarde demais.

Acessem o link, abaixo, para o Superarquivo:

http://super.abril.com.br/cotidiano/como-escapar-crime-organizado-447863.shtml

APOD: 2008 July 22 – Pessoas felizes dançando no planeta Terra terça-feira, dez 9 2008 

Sigam o link, enviado pela amiga Dé, e sorriam e riam, não dos que estão dançando, mas com os que estão dançando.

Que momento feliz!

APOD: 2008 July 22 – Happy People Dancing on Planet Earth

O fim do Photoshop – SUPERINTERESSANTE sábado, dez 6 2008